E-book intermediador
7 cuidados necessários ao implementar um meio de pagamento online

7 cuidados necessários ao implementar um meio de pagamento online

A implementação de um meio de pagamento online é uma das etapas mais importantes na construção de uma loja virtual. Por isso, é preciso cautela para garantir a segurança tanto dos clientes como do próprio negócio. Além do mais, sabia que a usabilidade e a comodidade dessa funcionalidade podem ser decisivas para aumentar as vendas?

Falhas na conclusão do negócio, logo no momento do pagamento, podem fazer com que muitos clientes desistam de suas compras, além de gerar enormes dores de cabeça para os lojistas. Na hora de escolher e implementar um meio de pagamento online, portanto, é fundamental tomar alguns cuidados.

Continue acompanhando este post para conhecer 7 dicas de cuidados que devem ser observados na hora de implementar um meio de pagamento online no seu negócio!

1. Saiba que segurança vem em primeiro lugar

Quando nem sequer pensar em implementar um meio de pagamento online, é preciso ter em mente que a segurança do processo deve ser prioridade máxima. Lembre-se, afinal, de que fraudes e outros tipos de ataques criminosos estão entre as principais ameaças para o sucesso de um negócio no meio digital. É essencial, assim, investir em proteção.

Basicamente, a segurança digital de uma loja virtual deve ser vista como o casco de um navio: mesmo que esteja quase totalmente impermeável, basta um único furo para a água entrar e comprometer toda a embarcação. É preciso, portanto, investir em soluções ao menos para os principais riscos que podem ameaçar a segurança dos clientes na hora do pagamento. Já começou a procurar por uma plataforma de pagamentos confiável?

2. Elimine obstáculos na hora do pagamento

É fato: o momento do pagamento é decisivo para uma conversão bem-sucedida. Por isso, é fundamental que, principalmente nessa hora, dê tudo certo para o cliente. Qualquer tipo de empecilho aqui pode causar a desistência do consumidor ou, ainda pior, uma enorme dor de cabeça para ambas as partes envolvidas, com compras duplicadas ou cobranças indevidas.

Para evitar esse tipo de problema, é muito importante entregar uma experiência extremamente otimizada e fluida, removendo do caminho do comprador qualquer tipo de obstáculo para a realização do pagamento. Além de um sistema robusto, que evite qualquer problema técnico, também é preciso que a interface de usuário proporcione uma usabilidade agradável e intuitiva, suavizando essa última etapa da jornada de compra.

3. Ofereça um processo transparente

A transparência é uma característica que precisa ser considerada no momento de implementação da forma de pagamento. Imagine se um consumidor fica em dúvida se foi cobrado ou não. Nesse caso, ele pode acabar repetindo o processo de compra ou, ainda pior, entrar em contato com a operadora do cartão de crédito pedindo o estorno.

É essencial que exista clareza sobre as etapas envolvidas no processo do pagamento para que esse consumidor saiba se sua ordem de compra está pendente enquanto espera a confirmação do pagamento de um boleto ou se já está tudo certo, bastando agora aguardar a entrega do produto adquirido ou prestação do serviço contratado.

4. Considere um intermediador de pagamentos

Contratar um intermediador de pagamentos é uma solução bastante prática e eficaz para resolver os meios de pagamento de um negócio digital. Basicamente, os intermediadores são serviços que terceirizam a etapa do pagamento de uma loja virtual. Com eles, os clientes são redirecionados para a plataforma do intermediador na hora de efetivar a compra, onde escolherão a forma de pagamento a fim de concretizar a transação.

A grande vantagem dos intermediadores é que eles assumem boa parte das responsabilidades de segurança relativas ao pagamento. Como as empresas são especializadas, certamente possuem um know-how muito maior na área, podendo assim oferecer soluções mais sofisticadas. Isso sem contar que esses negócios estão mais preparados para lidar com ameaças e riscos.

Outra vantagem é que os intermediadores já entregam inúmeros métodos de pagamento. Com eles, portanto, o negócio não precisa passar por toda a burocracia necessária para oferecer cada uma das formas de pagamento preferidas dos clientes. Além disso, quando um negócio digital adota um intermediador, a implementação do meio de pagamento online é extremamente simplificada, bastando configurar uma única funcionalidade — que quase sempre é oferecida como uma API prática.

5. Avalie a adoção de um gateway

Dependendo do porte e do tipo de negócio, o intermediador de pagamento pode não ser a melhor escolha de parceiro para essa etapa da jornada de compra. Aí entram os gateways de pagamento, soluções com um custo de implementação razoavelmente maior que os intermediadores, mas que permitem um controle maior sobre as transações realizadas. Eles também oferecem uma camada de segurança extra e podem, muitas vezes, ser mais vantajosos do ponto de vista financeiro.

Quando uma loja implementa um gateway de pagamento, não terceiriza toda a experiência, como no caso do intermediador, mas apenas a integração entre o negócio e as redes de adquirência. Com isso, não é preciso redirecionar o comprador para outro site, o que pode otimizar a experiência e suavizar o fluxo de compra.

Ao mesmo tempo, quando o negócio opta pelo gateway, precisa investir mais na implementação dessa solução. E é esse o ponto que pode não ser tão atrativo para empresas de pequeno e médio porte, que provavelmente conseguirão um retorno sobre o investimento mais interessante com uma solução mais prática, como o intermediador de pagamentos.

O segredo está em, antes de optar por um gateway ou um intermediador, avaliar cuidadosamente o volume de vendas do seu negócio e, claro, comparar as vantagens e desvantagens de cada método.

6. Escolha fornecedores de alta qualidade

Quando for escolher as soluções para o meio de pagamento online do seu negócio, busque sempre por fornecedores de alta qualidade e confiança, que consigam comprovar suas entregas. Lembre-se de que a etapa de pagamento é extremamente delicada. Não dá, assim, para correr riscos desnecessários nesse processo.

Mas não tem mistério: faça uma pesquisa criteriosa pelos melhores fornecedores, sejam eles intermediadores, gateways ou empresas de segurança digital. Se possível, converse com outros clientes e até ex-clientes desses parceiros e faça testes de usabilidade e segurança antes de decidir.

7. Conheça as tarifas da opção escolhida

Analise com cuidado quais formas de pagamento serão aceitas no seu negócio e conheça as tarifas e taxas envolvidas em cada uma delas. Por mais que oferecer a possibilidade de compra por boleto bancário possa ser uma boa pedida para conquistar clientes que não usam cartões de crédito, por exemplo, você precisa saber que esse formato cobra cerca de 4 reais por transação, independentemente do valor.

Por outro lado, as operadoras de cartões de crédito cobram uma taxa média de 4% sobre as vendas realizadas, além de uma mensalidade pela prestação do serviço. Tudo isso deve ser considerado não só na hora de escolher o meio de pagamento, mas também durante a formação do preço final ao consumidor.

E agora que você já conhece 7 dos principais cuidados a tomar na hora de implementar um meio de pagamento online, aproveite para compartilhar este conteúdo com seus colegas e amigos nas redes sociais!

Receba os melhores conteúdos sobre formas de pagamento online!
Sobre o autor
Marco Galvão
Marco Galvão Apaixonado por Marketing, formado em Administração, Pós-Graduando em Marketing e Gestão Estratégica de Negócios. Hoje também pesquisador e amante de assuntos relacionados a pagamentos online. Como Hobbies gosto de fotografar, ouvir música, viajar e cantar (mesmo sem saber) ! Bom tê-lo aqui comigo :)