E-book intermediador

7 principais estratégias de SEO para e-commerce que você deve saber

Quer um bom posicionamento nos resultados do Google para sua loja virtual? Então, invista em SEO! Conheça algumas estratégias.

7 principais estratégias de SEO para e-commerce que você deve saber

Ter boas práticas de SEO para e-commerce é algo que não deve ser deixado nunca de lado. Essa ação se define em investir em estratégias para que a loja virtual consiga ter um grande número de visitas orgânicas, ou seja, aquelas não vindas de anúncios pagos.

O investimento precisa ser constante, pois, as atualizações dos bots de buscadores, como o Google, nunca param. Somando-se a isso, todos os dias, chegam concorrentes, nesse mercado, que também estão otimizando suas páginas.

Assim, se você sente que seu tráfego está diminuindo, suas conversões não são mais as mesmas e aquele comércio da concorrência está ganhando mais visibilidade, já passou da hora de fazer algo para melhorar seus resultados!

Então, vamos às dicas infalíveis para você subir umas posições nesse ranking e destacar-se mais? Acompanhe!

1. Capriche nas imagens

Em compras online, as imagens representam um dos principais pontos de convencimento do consumidor. Como ele não pode tocar no produto para ter a certeza de que tem qualidade e vai atender suas necessidades, as fotos suprem essa omissão.

Assim, precisam ser de qualidade, mostrar todos os ângulos e detalhes e ter as cores reais. A possibilidade de usar o zoom tende a complementar ainda essa questão e ser um ponto a mais para a boa experiência de compra.

Além disso, é importante saber que o Google também classifica as imagens em seus resultados. Para que apareçam em boas posições quando um usuário buscar por determinado termo, elas precisam ter a tag <alt> com a keyword ideal.

2. Não dispense a descrição

Outro ponto que pode ser determinante para aumentar a conversão é fazer descrições completas e apropriadas de todos os produtos. Isso também segue a mesma lógica de que um comprador precisa de mais detalhes para se sentir confiante em fazer aquisições a distância.

Então, use a criatividade para demonstrar aos usuários a utilidade de cada item, além de mencionar todas as características dele, como dimensões, materiais e outras particularidades que a foto não consegue passar.

Utilize, no texto, a palavra-chave e tome cuidado para não fazer uma resenha que seja cópia do concorrente.

3. Invista em variados tipos de palavras-chave

Nem sempre usar somente aquelas palavras-chave que têm maior quantidade de busca é a melhor estratégia. Isso porque elas também acabam sendo as mais concorridas e, por isso, muito mais difíceis de ranquear.

Em um planejamento eficiente, é recomendado usar tanto as long tails como as head tails. As últimas atendem a resultados mais generalistas e costumam ter apenas um ou dois termos, como “sapato masculino”. As primeiras são mais detalhistas e, assim, mais fáceis de competir. Elas contêm expressões maiores, como “sapato masculino para padrinho de casamento”.

Além disso, é recomendado fazer a mesclagem com os termos correspondentes a todas as etapas do funil de vendas, o que atrairá um público ainda maior. Ou seja, equilibrar as keywords é uma ótima tática. Elas podem ser pesquisadas, ainda, em determinadas ferramentas, como Google Ads, UberSuggest ou SEMRush.

4. Faça títulos e chamadas atrativos

O tag <title> também deve apresentar a palavra-chave à qual o produto e o e-commerce se referem. Ele é o carro-chefe do SEO On Page, sendo, assim, primordial para ajudar no melhor posicionamento.

Desse modo, uma loja que venda sapatos para homens precisará inserir, nesse título, o termo “sapato masculino” e mais detalhes, como marca e estilo (casual, trabalho, casamento etc.). É importante estar atento à quantidade de caracteres, algo que o Google pode mudar em suas atualizações.

5. Dê atenção à linkagem interna

A linkagem interna é outro fato significativo de SEO para e-commerce que faz o Google considerar uma página como relevante. A lógica aqui é que, quando uma página importante (ou seja, bem ranqueeada) insere links de outras menos acessadas, o buscador passa a entender que elas também têm a sua importância.

Por exemplo, a página inicial de um e-commerce pode acrescentar um atalho para algumas mercadorias, em uma seção de “mais vendidos” ou “produtos em promoção”. A partir disso, tais destinos passarão a apresentar melhores resultados na colocação.

6. Examine a arquitetura do site

A arquitetura do site está relacionada à forma como as informações são organizadas e ligadas entre si. Do mesmo modo que os setores de uma empresa ou de um supermercado devem ter uma relação lógica, o arranjo das informações em um site também precisa ter.

Isso porque é por meio dessa organização que as pessoas conseguem encontrar o que estão procurando. Além disso, uma navegação simples e intuitiva tende a ser mais agradável e colaborar para que permaneçam mais tempo dentro do e-commerce.

Contar com a ajuda de um programador pode fazer a diferença. Porém, também existem softwares que conseguem mostrar o caminho que os usuários percorrem durante a navegação nas páginas. Assim, eles podem dar insights de como criar a trilha de categorias e subcategorias ideal para usar na loja virtual.

7. Avalie a existência de erros

Bem, você conseguiu seguir tudo à risca até aqui: investiu em fotos excelentes, fez descrições adequadas, usou as melhores keywords, mas, ainda assim, não conseguiu melhorar o posicionamento da página. Caso essa seja a sua realidade, o próximo passo é investigar se existem erros cometidos na gestão do seu comércio.

Um deles pode ser o conteúdo duplicado externo. Em e-commerces, é comum encontrar isso nas descrições de produtos, já que muitos gestores acabam colocando textos genéricos. O problema disso é que o Google entende como plágio e, assim, acaba penalizando a página.

O conteúdo duplicado interno também é frequente e ele pode aparecer quando, por exemplo, existem itens de variados tamanhos e cores de um mesmo produto. Nesse caso, a saída é utilizar algumas técnicas para mostrar ao buscador que tal detalhe não deve ser indexado. A canonical tag é um dos exemplos para isso.

A disputa por um bom posicionamento nos resultados de busca é sempre grande e, de vez em quando, certas regras mudam. Sendo assim, é importante sempre acompanhar as alterações e fazer as adaptações necessárias.

Com isso, podemos concluir que investir em estratégias de SEO para e-commerce é um processo contínuo e fundamental para crescer a taxa de conversão e ter, como consequência, o aumento do faturamento do negócio.

Quer manter o engajamento do seu comércio virtual sempre alto? Então, venha conhecer mais sobre a importância de ter intermediadores e gateways de pagamento!

Chargeback o Guia Deifinitivo
Sobre o autor
Thadeu Arias
Thadeu Arias Growth Hacker | SEO and Marketing Strategy | Especialista em E-commerce, sua passagem por agências de publicidade, trouxeram bagagem em performance e conversão para e-commerce. Apaixonado por estudo, e aficionado por testes e análise de resultados. Acredita no data driven como acelerador de crescimento.
100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo