Tire seu negócio online do papel. Conheça o Logo Comunidade Maker

Banking as a service (BaaS): o que é, como funciona e quais são as vantagens?

Entenda o modelo de banking as a service e descubra por que as empresas estão usando essa estratégia para inovar na experiência de seus clientes.

Banking as a service (BaaS): o que é, como funciona e quais são as vantagens?

Os novos modelos de serviços (as a service, ou aaS) são possibilidades estratégicas oferecidas pela tecnologia para facilitar a vida de empresários e usuários. Com eles, é possível dispor de recursos avançados de uma maneira simplificada, sem ter que arcar com infraestruturas inteiras e complexas.

Incluído nesse conceito, está a ideia de banking as a service (BaaS), que vem revolucionando o setor financeiro. Esse novo paradigma permite a democratização e popularização de serviços bancários, o que é uma etapa importante para a transformação digital.

Gestores precisam entender melhor como ele funciona, a fim de usufruir de seus principais benefícios para oferecer experiências diferenciadas aos seus clientes. Se quiser ir a fundo sobre esse conceito, prossiga com a leitura!

O que é banking as a service?

O banking as a service é um modelo de serviços que visa a oferecer operações bancárias descentralizadas, como uma API para qualquer tipo de empresa, sob demanda.

Ou seja, nesse novo sistema, companhias financeiras que possuem as licenças para operar no setor fornecem a base estrutural para terceirizar os processos de outras organizações, de outros nichos.

Assim, essas organizações podem desfrutar de recursos financeiros sem as burocracias comuns. É como uma empresa ter um banco sempre disponível, contratado para as suas necessidades.

Empresas de qualquer tipo de setor podem apresentar serviços específicos, como conta digital, sistemas de pagamento, cartões de crédito, saques, transferências, depósitos, entre outros. Tudo isso sem as barreiras de regras e regulações impostas normalmente pelo Banco Central.

A partir de um intermediário, gestores conseguem executar esses processos de maneira ágil, consistente e autônoma. Essa forma de tecnologia está associada à necessidade dos clientes por personalização e inovação nos produtos do dia a dia.

Com a transformação digital, os consumidores se tornaram cada vez mais exigentes e cientes de sua condição, o que força as empresas a buscarem soluções digitais. No mercado, atualmente, diversas companhias se destacam com modelos de negócio diferenciados, justamente por utilizarem a tecnologia de forma central.

No próprio setor financeiro, temos as fintechs, que revolucionaram a forma de fornecer serviços financeiros, com agilidade, desburocratização e segurança. A principal base estrutural de fintechs é o BaaS.

Nesse novo universo, as companhias operam de modo totalmente digital, com controle feito por aplicativos e atendimento realizado por chats ou e-mail. É uma nova maneira de encarar a relação entre cliente e empresa, típica de tempos em que as ferramentas tecnológicas deixaram de ser acessórias para se tornar obrigatórias e estruturantes.

Como o banking as a service funciona?

O banking as a service herda as características do modelo as a service tradicional. Com base na computação em nuvem, o principal objetivo dessas tecnologias é disponibilizar recursos complexos e infraestruturas inteiras como um serviço, com pagamento apenas por uso e acesso via internet.

Assim, aqueles que não dispõem de condições para arcar com estruturas físicas podem contratar essas companhias e contar com o suporte delas.

No mercado, já temos o SaaS (softwares como um serviço, tais como Gmail e Spotify), PaaS (plataformas para desenvolvimento de produtos próprios) e IaaS (infraestruturas computacionais inteiras de modo a estruturar a TI de uma empresa e permitir ações avançadas).

Em todas elas, há uma relação clara entre o fornecedor e a contratante: o primeiro oferece uma base de componentes específicos, enquanto o segundo paga por eles e arca com o resto.

Nesse sentido, empresários que querem começar seu negócio ou alavancar uma ideia já existente conseguem facilmente com a abstração de recursos e elementos técnicos e burocráticos.

Com o banking as a service, o funcionamento é o mesmo: toda a questão de regulação, compliance, tecnologia e proteção de dados é regida pela instituição BaaS; ao cliente, só cabe utilizar o sistema.

A comunicação se dá por estruturas chamadas de API (códigos prontos que são utilizados para adicionar componentes computacionais a uma aplicação). Assim, a empresa pode desenvolver seu próprio aplicativo e apresentar comodidade e praticidade aos seus clientes com uma experiência inovadora.

A partir dessa API, desenvolvedores da contratante podem trabalhar para realizar modificações também, de modo a personalizar a solução para as necessidades da companhia e dos consumidores.

Para o gestor, a comunicação com o sistema bancário é feita pela BaaS. Para o cliente, todo o controle financeiro será realizado de forma fácil por aplicativos personalizados e eficientes. Fintechs e startups, como Neon e Nubank, hoje, estão se destacando com esse tipo de integração e já conseguem alcançar uma parcela maior de clientes.

Por que empresas querem ter seu próprio banco?

Vamos agora examinar algumas razões que levam uma empresa a ter seu próprio banco, como BaaS.

Agilidade e fidelização

Com o banking como um serviço, quando há necessidade de realizar operações financeiras, não é necessário depender de outras organizações para tornar o processo ainda mais complicado para os seus usuários. Ou seja, com o novo modelo, companhias de qualquer setor eliminam a burocracia ao lidarem com as finanças.

Oferecer pagamento de boletos, cartões, transferências e outros serviços aos clientes pode ser crucial, a fim de otimizar a experiência deles. Assim, a empresa pode avançar na fidelização de consumidores com um portfólio de produtos mais abrangente e uma geração de valor mais ampla.

Essa fidelização também é importante para escalar as soluções. Se operações bancárias tornam-se mais fáceis, a tendência é que mais pessoas se envolvam com isso e passem a realizar esses processos. Desse modo, a companhia aumenta o número de bancarizados e atrai mais usuários.

Segurança

É importante frisar que as APIs oferecidas por empresas de banking as a service são extremamente focadas em segurança. Nesse sentido, existe um cuidado grande com confidencialidade e proteção de informações, de modo a garantir transações e processos realizados em conformidade com os direitos dos clientes e com as leis do assunto.

Foco no core do negócio

Se você ainda se pergunta por que buscar uma solução BaaS, essa é outra grande vantagem. Afinal, o grande destaque desse paradigma é a abstração de questões técnicas e legais, tornando todo esse processo automatizado e descentralizado.

Assim, cada organização consegue focar no seu core business, sem ter que se preocupar muito com detalhes ao lidar com processos bancários. Mesmo com essa abstração, ela ainda consegue otimizar a experiência dos seus clientes com um serviço de qualidade e inovador.

O banking as a service já está revolucionando a forma como encaramos serviços financeiros. As empresas conseguirão incorporar processos técnicos e burocráticos em seus catálogos de forma simples, o que gera uma popularização dessas operações bancárias e permite que as pessoas consigam resolver seus problemas de forma ágil.

Gostou do conteúdo? Acompanhe-nos nas redes sociais para mais. Estamos no Facebook, no Twitter e no Instagram!

100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo