Banner intermediador
Nova Plataforma de Cobrança de Boletos

Nova Plataforma de Cobrança de Boletos

O boleto bancário sem registro já está chegando ao fim e é bom ficar de olho. O assunto vem sendo muito discutido ultimamente, já que se trata de uma alteração na forma de como uma empresa emite a cobrança dos seus clientes, e não apenas uma simples mudança de plataforma, afetando diretamente quem realiza vendas online, onde o boleto bancário sempre foi um dos meios de pagamentos mais utilizados.

Então corra, em pouquíssimo tempo, os boletos sem registro serão extintos, todos deverão ser registrados e trafegarão pela nova plataforma anunciada pela Febraban (Federação Brasileira dos Bancos).

Porquê dessa atualização?

A nova plataforma de cobrança de boletos bancários vem sendo implantada desde julho de 2017, substituindo a antiga que desde sua criação em 1993 não teve atualização, essa nova plataforma veio para modernizar o processo de liquidação dos boletos bancários, com mecanismos que trazem mais controle e segurança a essa forma de pagamento, para garantir mais confiabilidade e comodidade aos usuários, sendo obrigatório em qualquer banco como padrão nacional.

A alteração mais recente ocorreu em 24 de março de 2018, onde todos os boletos a cima de R$800,00 passaram a integrar as novas regras na plataforma de cobrança, antes disso, apenas boletos a cima de R$50.000 poderiam ser pagos em bancos diferentes de sua emissão após o vencimento.

E você lojista, está preparado?

Que os boletos bancários sem registros estão com seus dias contados não é mais novidade, a notícia circula a quase 3 anos desde sua primeira indicação de mudança em 2015 e finalmente estamos entrando na reta final desse processo. Existe um cronograma que mostra exatamente o dia que marcará o fim dos boletos sem registro, ele será em 22 de setembro de 2018. Mas antes disso foi acordado que progressivamente teremos mudanças, conforme informado a baixo

  • Após o dia 24 de março/2018 já está vigorando Boletos de R$ 800,00 ou mais;
  • A partir de 26 de maio/2018 será a vez de Boletos de R$ 400,00 ou mais;
  • A partir de 21 de julho/2018 finalmente teremos Boletos de R$ 0,01 ou mais;
  • Em 22 de setembro/2018 define-se a conclusão do processo, com a inclusão dos boletos de cartão de crédito e de doações, entre outros.

O que mais afeta o emissor, é o fato de ter que utilizar boletos bancários registrados em todas as vendas, e isso gera um custo por emissão, a solução é a utilização de um Intermediador de Pagamentos, que além de já contar com a emissão de todos os boletos no novo formato, registrado e de acordo com a nova plataforma, o Intermediador consegue te cobrar apenas pelo boleto liquidado, sem cobranças adicionais e por um custo menor do que diretamente pelo banco, a conta é simples. Se o banco cobra R$1,20 por boleto e sua conversão é de 1 boleto pago para cada 3 emitidos, seu custo se torna 3x maior do que o custo que o banco te cobra por 1. Com o intermediador, esse número se torna bem menor levando em consideração que não é cobrado a emissão.

Mas afinal, quais seriam as vantagens dessa atualização para o consumidor e para o emissor do boleto?

Com a nova atualização os boletos mesmo vencidos, podem ser pagos em qualquer instituição bancaria, incluindo correspondentes e internet banking, fato esse que ajuda muito o cliente e o emissor na conversão de pagamento, visto que o cliente não tem mais a necessidade de entrar em contato com a loja para gerar uma 2ª via dos boletos, isso antigamente não era possível, mas hoje com a plataforma única contemplando todos os bancos torna-se possível.

Além dessa facilidade, o controle sobre os boletos bancários registrados traz mais segurança aos pagadores e recebedores, diminuindo muito o risco de fraudes, inconsistências e pagamentos em duplicidade, boletos bancários não registrados eram muito vulneráveis a fraudes e inconsistências. Em relação a pagamentos em duplicidades a nova plataforma também consegue identificar, bloqueando a segunda tentativa de pagamento, tudo isso devido a integração dos bancos em uma única plataforma.

Vale ressaltar que…

Toda essa nova sistemática vem sobre o fundamento de melhorar a segurança do sistema, e não é somente isso, unificando a plataforma o BACEN (Banco Central) vai poder fazer cruzamento de informações de valores declarados recebidos com valores pagos, esse cruzamento também fica disponível para Receita Federal e FISCO, portanto fica claro que também será um instrumento de controle sobre a sonegação fiscal.

Receba os melhores conteúdos sobre formas de pagamento online!
Sobre o autor
Douglas Silva
Douglas Silva Apaixonado por tecnologia e entregar as melhores e mais criativas soluções aos meus clientes. Formado em Administração, tenho experiencia em negociação e atendimento. Sou focado no trabalho e tenho certeza que podemos mudar o mundo com trabalho, empenho, paixão e amor ao próximo. Em minhas horas vagas gosto de praticar esportes e viajar com minha família e amigos. Posso ajudá-lo? Acesse meu Linkedin :)