E-book intermediador
Como integrar os meios de pagamento online às tecnologias do e-commerce?

Como integrar os meios de pagamento online às tecnologias do e-commerce?

A correta integração entre loja virtual e meios de pagamento online gera uma série de benefícios operacionais e financeiros para qualquer e-commerce. Para começo de conversa, a otimização dos processos impacta na redução de falhas manuais, diminuindo os riscos e melhorando o atendimento prestado ao cliente. Acredite: no fim do primeiro mês, você já perceberá outros ganhos, como redução de chargebacks, consolidação bancária mais eficiente e resultados de vendas positivos.

Basicamente, uma maior produtividade favorece novas vendas, a eficiência operacional traz redução de custos e a correta gestão do e-commerce proporciona uma visão detalhada e estratégica para planejar o futuro da sua loja virtual. Interessante, não acha? Então aproveite para conferir como integrar seu e-commerce aos meios de pagamento online e entender como essa atitude contribui para seu sucesso!

Como integrar o e-commerce aos meios de pagamento online?

Selecione o serviço de pagamento digital

Existem 2 possibilidades de serviços de pagamento digital: os intermediadores de pagamento e os gateways de pagamento. Continue acompanhando para entender!

Gateways

O gateway de pagamento é uma plataforma que se conecta ao carrinho de compras do e-commerce, facilitando a integração entre a loja virtual, as operadoras e os bancos. O usuário seleciona os produtos e, quando vai para o checkout, o gateway entra em cena, capturando os dados do consumidor e fazendo a validação junto às instituições financeiras. Para garantir a privacidade dos clientes, essas informações são criptografadas no momento da captura, podendo ficar armazenadas ou não.

Essa ferramenta se adapta facilmente a qualquer tipo de checkout, deixando nas mãos do próprio comerciante a análise de crédito e os riscos da transação financeira. O detalhe é que, antes de contratar o gateway de pagamentos, você precisa fechar contratos com as operadoras e os bancos, negociar as taxas diretamente com essas empresas e definir seu portfólio de formas de pagamento.

Intermediadores

Os intermediadores de pagamento, por sua vez, são plataformas que unem o gateway de pagamentos, os adquirentes e a análise de crédito em uma única solução. Os intermediadores (ou subadquirentes) fazem contratos com os adquirentes e constroem um amplo portfólio de opções de pagamento.

O proprietário do e-commerce faz um cadastro no intermediador como vendedor e passa a ter licença para usar todos os métodos de pagamento disponíveis na plataforma. Quando o consumidor fecha a compra e chega ao checkout, é redirecionado para o ambiente do intermediador de pagamentos, devendo preencher alguns dados de cadastro e então optar pela melhor forma de pagamento.

Por um lado, o processo é bem mais ágil que com a contratação dos gateways. Por outro, o custo da operação pode se tornar maior, uma vez que as taxas cobradas sobre cada venda costumam ser maiores nos intermediadores. Isso acontece porque eles ficam responsáveis pela análise de crédito e risco da operação. Assim, se houver qualquer problema com o pagamento, você não deixa de receber! E ainda tem mais: a mesma segurança é dada ao consumidor. Dessa forma, caso ele não receba o produto, por exemplo, o intermediador faz o ressarcimento dos valores e tenta negociar com o comerciante para ver o que aconteceu.

Quem está começando no e-commerce costuma optar pelos intermediadores especialmente pela facilidade de implementação e, claro, pela ausência de negociação direta com bancos e operadoras. Já quem tem mais experiência de mercado tende a optar pelos gateways de pagamento para conseguir taxas menores, uma vez que possuem poder de negociação junto aos bancos e às operadoras.

Ofereça o checkout transparente

O checkout transparente acontece quando o consumidor não é direcionado para outras plataformas no momento de realizar o pagamento. Nesse cenário, o cliente permanece no e-commerce, sem notar qualquer diferença entre loja virtual e plataforma de pagamentos. É como se a ferramenta de pagamentos já fizesse parte da sua estrutura, o que gera mais segurança no momento do fechamento da compra.

Com o checkout transparente, o consumidor não precisa preencher novos formulários nem possuir cadastro em um intermediador de pagamentos. Depois de concretizar a compra, ele pode seguir navegando pela loja virtual para conhecer outras opções de produtos que sejam do seu interesse.

Logo na primeira compra, o cliente pode optar por salvar os dados para futuras transações, facilitando o que chamamos de compra com 1 clique. Assim, o intervalo entre decisão e efetivação do pedido se torna bem menor. Essa simples mudança evita o abandono de carrinho e torna o processo de compra mais confiável, o que se reflete em mais resultados para o e-commerce no longo prazo.

Integre o serviço à sua loja virtual

O passo final é proceder com a integração dos meios de pagamento online selecionados. Essa parte do processo não costuma dar muitos problemas, pois os passos são bem simples e a tecnologia adotada pelos fornecedores é compatível com a maioria das linguagens de programação usadas. Siga as instruções do fornecedor para concretizar a união das plataformas e, caso tenha dificuldades, não hesite em pedir ajuda!

Mas por que integrar os meios de pagamento online ao e-commerce?

Os motivos citados até aqui ainda não o convenceram de que integrar a loja virtual a uma ferramenta de meios de pagamento online é essencial? Pois agora você vai finalmente entender a importância dessa decisão!

O processo de compra online é formado por ações do consumidor e reações do e-commerce. O cliente seleciona os produtos, colocando-os no carrinho de compras. Eis um alerta para que o estoque separe as mercadorias. No momento de fechamento da compra, o consumidor pode agregar mais unidades de um produto ou até excluir algum item, mais um detalhe que não pode passar despercebido por sua equipe.

Por fim, concluída a compra, o financeiro é acionado para fazer a cobrança e emitir a nota fiscal, o estoque é notificado para dar andamento ao processo de picking, a embalagem é preparada e a transportadora, acionada.

Se algo falha ao longo dessa cadeia de acontecimentos, o prejuízo é seu! Uma cobrança devolvida pela operadora do cartão de crédito (chargeback) impacta no financeiro, um pedido enviado incorretamente afeta a satisfação do cliente e a falta de um produto em estoque impacta na sua reputação. Dentro dessa perspectiva, quanto mais integrados forem seus processos, menos brechas você deixa para falhas que podem trazer prejuízos financeiros e de imagem para a empresa.

Ficou com alguma dúvida sobre a integração de meios de pagamento no e-commerce? Deixe seu comentário!

Receba os melhores conteúdos sobre formas de pagamento online!
Sobre o autor
Darius Cordeiro
Darius Cordeiro