E-book intermediador

Como o financiamento em estágios pode ajudar no sucesso da sua startup?

O financiamento em estágios tem se mostrado uma ótima estratégia para potencializar os investimentos de um empreendimento. Confira!

Como o financiamento em estágios pode ajudar no sucesso da sua startup?

[rock-convert-pdf id=”10285″]
Há quem pense que, para abrir um negócio, basta ter uma ideia criativa. Porém, quem vive o mundo do empreendedorismo e das startups sabe que essa afirmação está longe de ser verdadeira. Contar com o capital necessário e com investidores adequados é determinante. Por isso, abordaremos uma modalidade que tem sido muito eficiente nesse sentido: o financiamento em estágios.

Ficou interessado no assunto? Neste texto, entenda o que é o financiamento em estágios e suas diversas fases, e saiba como essa estratégia pode levar a sua startup para o sucesso. Acompanhe!

O que é o financiamento em estágios?
O desenvolvimento de uma empresa conta com várias etapas, desde a idealização da ideia até a consolidação do empreendimento e expansão. No financiamento em estágios, o investimento é feito de acordo com a fase da startup e os desafios que cada uma apresenta.

Ao dividir a necessidade de financiamento dessa maneira, o empreendedor pode vender a ideia de forma muito mais clara para os investidores — já que cada um deles possui um foco diferente.

Uma das grandes vantagens dessa estratégia é que ela evita que o dinheiro seja investido em projetos ruins ou pouco elaborados. Além disso, reduz as perdas e possibilita que o investidor tenha mais segurança com o empreendimento e com a forma como o valor está sendo gasto.

Entretanto, para colocar essa estratégia em prática, é preciso ter um bom planejamento do negócio, inclusive com previsões financeiras e de pagamento de dividendos para os investidores em um futuro próximo.

Quais são os estágios do financiamento?
Quer saber, de forma mais detalhada, como essa estratégia pode ser utilizada em cada estágio de um negócio? Basta continuar a leitura!

Estágio inicial
Nessa fase, o foco principal é tirar a ideia do papel e manter a empresa viva. A figura do fundador é fundamental, pois, ele é o responsável por fazer com que o modelo do negócio tome forma, além de pagar as contas, gerenciar o capital de giro e concentrar a tomada de decisões.

O investimento advém, geralmente, do próprio fundador ou dos familiares, colocando, muitas vezes, seu próprio patrimônio em risco — visto que as incertezas são significativamente grandes.

Com as metas e objetivos a curto prazo, é de extrema importância que a estrutura de capital esteja alinhada com a proposta do negócio e o prazo de retorno estimado.

Inovação e crescimento
Uma vez que o negócio esteja em operação — geralmente um ano após o estágio inicial —, o foco passa a ser a consolidação do projeto e a padronização dos processos. Agora, existe uma cadeia de suprimentos, onde fornecedores, clientes e investidores estão envolvidos. Portanto, o nível de organização exigido é maior.

É muito comum que, nesse estágio, o financiamento seja feito pelos chamados “investidores-anjo”, que adquirem uma participação minoritária no negócio e, em troca, provém capital e know-how para empresas com grande potencial de crescimento. Eles atuam, muitas vezes, como mentores e conselheiros dos fundadores.

Expansão
Vamos supor que você seja muito ligado ao mundo tecnológico e tenha uma ideia inovadora para criar um novo aplicativo. Devido à utilidade dessa nova tecnologia na vida cotidiana, ela foi bem-aceita pelo mercado e a fase de desenvolvimento do produto foi finalizada. Além disso, você conseguiu captar investimentos de um investidor anjo na fase de crescimento e, agora, o próximo passo é a expansão!

A palavra que define essa fase é estruturação. Os gestores precisam desenvolver estruturas mais robustas para suportar o negócio, como uma governança corporativa, um processo de pós-vendas, campanhas de marketing elaboradas, entre outras. O investimento, nesse estágio, origina-se do venture capital.

Maturação
Por fim, no estágio de manutenção, o plano de negócio e o produto já estão consolidados. Além disso, as estruturas de TI e de processos internos de vendas já estão em funcionamento, e o gerenciamento de riscos também já está presente.

Portanto, é importante começar a pensar na ideia de mercado de capitais ou de fusões com outras empresas, como novas formas de investimento e financiamento.

Como aplicar o conceito de “dividir para conquistar”?
Você já ouviu aquela expressão que diz ser preciso, às vezes, dividir para conquistar? A ideia é separar os inimigos e se juntar aos aliados para vencer disputas locais. Metaforicamente, podemos perceber os rivais como os desafios que cada estágio do negócio representa, assim como os associados passam a ser os diversos investidores.

Como explicamos no texto, o financiamento em estágios é uma divisão de esforços durante a fase de desenvolvimento de um negócio, de forma a endereçar os problemas de cada fase de forma mais objetiva. Portanto, ao adotar essa estratégia, as chances de que a sua startup alcance o sucesso aumentam significativamente!

Está desenvolvendo o seu negócio? Pois, saiba que você não precisa passar por todas as dificuldades, sozinho! Leia o nosso post sobre a incubadora de startups e veja como ela pode fornecer uma consultoria especializada e ajudar no processo de consolidação!

Sobre o autor
Evandro Zanatta
Evandro Zanatta Especialista no desenvolvimento e crescimento de startups e produtos. Acredita no uso de data-driven para elaborar as melhores estratégias, alcançar os melhores resultados e sempre seguir no caminho correto. Tendo atuado em grandes plataformas de e-commerce e atendimento, atualmente lidera o time de marketing da Yapay, plataforma de pagamento do grupo Locaweb.
100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo