E-book intermediador

Conheça as 7 formas de pagamento mais usadas na internet

Conheça as 7 formas de pagamento mais usadas na internet

O sucesso do e-commerce brasileiro é resultado de diversos investimentos que visam ao aprimoramento da experiência do consumidor. E um requisito indispensável para isso é a diversificação das formas de pagamento na internet.

Para que você tenha uma ideia, o comércio eletrônico fechou 2016 com mais de 44 bilhões de reais de faturamento e um aumento de 8% no ticket médio. E, acredite ou não, a expectativa para 2017 é de que haja um crescimento de 15% nas vendas!

Se você pretende garantir sua fatia de receita nesse bolo, o melhor a fazer é checar se tem disponíveis todas as formas de pagamento mais usadas para compras na internet. Confira agora mesmo quais são!

1. Cartões de crédito

Com a popularização dos cartões de crédito, essa passou a ser a opção preferida dos consumidores para compras na internet — mesmo que seja à vista. As possibilidades de programar os pagamentos para uma data mais conveniente e de parcelar compras com valores mais altos atraem milhares de consumidores.

Aliás, sabia que ⅔ dos consumidores online usam essa modalidade de pagamento para realizar compras em e-commerces? O desafio do comerciante é, portanto, selecionar as melhores bandeiras de cartões de crédito para sua loja virtual a fim de atrair um público mais amplo.

2. Cartões de débito

São muitos os e-commerces que já aderiram às compras por débito em conta corrente. Firmando convênios com bancos, é possível oferecer essa opção aos correntistas.

A maior vantagem do débito está em receber os valores prontamente, o que gera fluxo de caixa para a empresa. Contudo, é preciso avaliar as taxas cobradas pelas instituições para esse tipo de transação, pois nem sempre são vantajosas. Outra facilidade é que você não corre riscos com chargeback, já que a transação é (ou não) autorizada de imediato.

3. Transferência eletrônica de fundos

Essa é uma das formas de pagamento na internet que ainda precisa de maior divulgação para que e-commerces e consumidores comecem a utilizá-la. Trata-se de uma transferência entre contas. Exige, por isso, que o consumidor digite seus dados bancários e aprove a transferência mediante a mesma senha usada no internet banking.

Para oferecer essa modalidade de pagamento, o e-commerce precisa de um ambiente de extrema segurança. Além de possuir todas as camadas de proteção possíveis para evitar o vazamento dos dados do consumidor. A principal vantagem da TEF é o valor cobrado: menos de 1 real por cada transação! Os valores são creditados em pouco tempo na conta da loja, o que traz agilidade aos recebimentos e contribui para um fluxo de caixa positivo.

4. Boleto bancário

Apesar de ter perdido espaço para outras modalidades, o boleto ainda é usado em 20,21% das transações no comércio eletrônico. Ficando na segunda posição do ranking de formas de pagamento na internet preferidas dos consumidores. Por se tratar de uma forma de pagamento à vista, muitos e-commerces e marketplaces oferecem descontos para quem opta por essa modalidade.

Para os consumidores, as vantagens são bem interessantes: possibilidade de pagar em lotéricas, caixas automáticos e internet banking, maior controle sobre as despesas e comprovação da compra e do pagamento. Mas há também algumas desvantagens: a demora na constatação do pagamento e o custo para o comerciante, pois a emissão de cada boleto é cobrada pela instituição cedente do título.

5. Carteiras digitais

Também chamadas de wallets, as carteiras digitais têm ganhado muitos adeptos nos últimos anos. Hoje, cerca de 1% das compras no e-commerce são feitas por meio dessa modalidade de pagamento. Funciona assim: um aplicativo de smartphone (como o Google Wallets) contém os dados bancários do usuário. Assim, ao realizar uma compra, o pagamento é feito via aplicativo e não tendo que informar os dados do comprador.

O intuito é preservar a privacidade das informações do consumidor, evitando que esses dados sejam usados indevidamente no mercado. Empresas como Apple e Samsung também possuem aplicativos de pagamento nesse formato.

6. Troca de pontos ou milhas

Desde que os programas de fidelização conquistaram os consumidores, os pontos acumulados vêm sendo usados para o resgate de mercadorias.

O que acha de se seu e-commerce fazer uma parceria com uma empresa (como a Multiplus, por exemplo) a fim de permitir que os usuários comprem produtos em troca de pontos? No caso, o valor correspondente à mercadoria é repassado pela administradora desses pontos, tornando-se uma fonte a mais de receita para a loja virtual.

7. Intermediadores de pagamento

Uma das formas de pagamento na internet mais usadas pelos comerciantes são os intermediadores de pagamentos. Plataformas robustas, com infraestrutura para oferecer diversas opções de pagamento em um único local. Com um intermediador de pagamentos, você pode oferecer no seu e-commerce todas as modalidades mencionadas até aqui, sem precisar fazer um contrato diferente para cada uma.

A plataforma do intermediador é integrada à loja virtual, mas não deixa que o consumidor perceba diferenças entre esses 2 ambientes. Assim, ao fechar a compra e optar pela forma de pagamento, o cliente é direcionado para o intermediador de pagamentos. Que faz a análise de crédito de forma imediata, envia os dados para a operadora de cartões (quando é o caso) e faz a validação da compra.

Quando se trata de transferência eletrônica de fundos ou débito automático, o intermediador também faz essa comunicação com a instituição bancária. A fim de verificar se o cliente possui saldo suficiente para a compra. Estando tudo ok, a cobrança é realizada. Já com o boleto bancário, o consumidor imprime o documento e o paga onde achar melhor. Nesse caso, o banco deve confirmar o recebimento para que a compra seja confirmada.

Além de oferecer diversas opções em um único local, o intermediador de pagamentos oferece maior segurança nas transações financeiras do seu e-commerce. Você não precisa, portanto, se preocupar com conexões seguras, criptografia de dados e selos de segurança. Tudo isso passa a ser de responsabilidade do seu fornecedor!

Também existe uma maior facilidade em fazer a consolidação dos seus recebíveis. Já que todos os pagamentos ficam concentrados em um único lugar. Isso sem contar que os riscos comuns a qualquer comércio (como fraudes) são significativamente reduzidos pela ação estratégica do intermediador em analisar os dados do comprador antes de autorizar a transação.

Agora que você já conhece as 7 formas de pagamento mais usadas na internet, que tal compartilhá-las em suas redes sociais?

100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo