Logo da Universidade Yapay com a coruja como símbolo Conheça a Universidade Yapay!

Conheça as 7 formas de pagamento mais usadas na internet

Não podemos afirmar quando uma forma de pagamento é a melhor. É preciso avaliar vantagens, desvantagens e considerar a opção que atende às especificidades do seu negócio.

Conheça as 7 formas de pagamento mais usadas na internet

O sucesso do e-commerce brasileiro é resultado de diversos investimentos que visam aprimorar a experiência do consumidor. Um dos requisitos indispensáveis para a escolha e a priorização de uma empresa nesse mercado tão competitivo da Internet é a diversificação das formas de pagamento.

Isso porque o valor do frete, a burocracia no cadastro em checkouts, a má performance no atendimento de demandas, a insegurança no processo de compra e a quantidade limitada de formas de pagamento configuram entre os principais motivos para a desistência de uma compra pelos clientes.

Em lojas virtuais, o abandono de carrinho de compras é recorrente: segundo um estudo da Rock Content, 97% dos consumidores já abandonaram um em algum momento. Isso representa uma valor de vendas altíssimo, que configura um custo de oportunidade de e-commerces de todos os segmentos.

Apesar disso, empresas que se anteciparam à digitalização e disponibilizaram produtos ou serviços na Internet sentem menos a crise econômica, uma vez que o comércio eletrônico não demanda contatos físicos para acontecer.

Ainda que o modelo de negócio tenha propiciado um faturamento de 75,1 bilhões em 2019, esses números tendem a crescer a cada dia, visto que a atuação de lojas físicas foi limitada em várias partes do país e a transformação digital das empresas já não é mais uma tendência, e sim uma necessidade de sobrevivência.

Se você pretende garantir sua fatia de receita nesse bolo, o melhor a fazer é checar se tem disponíveis todas as formas de pagamento mais usadas para compras na Internet. Confira agora mesmo quais são!

Quais são as principais formas de pagamento?

Veja a seguir, as formas de pagamento mais usadas em transações pela Internet e decida qual é a ideal para o seu negócio.

1. Cartões de crédito

Com a popularização dos cartões de crédito, essa passou a ser a opção preferida dos consumidores para compras na Internet — mesmo que seja à vista. As possibilidades de programar os pagamentos para uma data mais conveniente e de parcelar compras com valores mais altos atraem milhares de consumidores.

Aliás, sabia que dois terços dos consumidores online usam essa modalidade de pagamento para realizar compras em e-commerces? O desafio do comerciante é, portanto, selecionar as melhores bandeiras de cartões de crédito para a sua loja virtual, a fim de atrair um público mais amplo.

2. Cartões de débito

São muitos os e-commerces que já aderiram às compras por débito em conta corrente. Firmando convênios com bancos, é possível oferecer essa opção aos correntistas.

A maior vantagem do débito está em receber os valores prontamente, o que gera fluxo de caixa para a empresa. Contudo, é preciso avaliar as taxas cobradas pelas instituições para esse tipo de transação, pois nem sempre são vantajosas. Outra facilidade é que você não corre riscos com chargeback, já que a transação precisa ser autorizada de imediato.

3. Transferência eletrônica de fundos

Essa é uma das formas de pagamento na Internet que ainda precisa de maior divulgação para que e-commerces e consumidores comecem a utilizá-la. Trata-se de uma transferência entre contas. Exige, por isso, que o consumidor digite seus dados bancários e aprove a transferência mediante a mesma senha usada no Internet Banking.

Para oferecer essa modalidade de pagamento, o e-commerce precisa de um ambiente de extrema segurança, além de possuir todas as camadas de proteção possíveis para evitar o vazamento dos dados do consumidor. A principal vantagem da TEF é o valor cobrado: menos de 1 real por cada transação!

Os valores são creditados em pouco tempo na conta da loja, o que traz agilidade aos recebimentos e contribui para um fluxo de caixa positivo.

4. Boleto bancário

Apesar de ter perdido espaço para outras modalidades, o boleto ainda é usado em 20,21% das transações no comércio eletrônico, ficando na segunda posição do ranking de formas de pagamento na Internet preferidas dos consumidores.

Por se tratar de uma forma de pagamento à vista, muitos e-commerces e marketplaces oferecem descontos para quem opta por essa modalidade.

Para os consumidores, as vantagens são bem interessantes: possibilidade de pagar em lotéricas, caixas automáticos e Internet Banking, maior controle sobre as despesas e comprovação da compra e do pagamento.

Mas há também algumas desvantagens: a demora na constatação do pagamento e o custo para o comerciante, pois a emissão de cada boleto é cobrada pela instituição cedente do título.

5. Carteiras digitais

Também chamadas de wallets, as carteiras digitais têm ganhado muitos adeptos nos últimos anos. Hoje, cerca de 1% das compras no e-commerce são feitas por meio dessa modalidade de pagamento.

Funciona assim: um aplicativo de smartphone (como o Google Wallets) contém os dados bancários do usuário. Assim, ao realizar uma compra, o pagamento é feito via aplicativo, não tendo que informar os dados do comprador.

O intuito é preservar a privacidade das informações do consumidor, evitando que esses dados sejam usados indevidamente no mercado. Empresas como Apple e Samsung também possuem aplicativos de pagamento nesse formato.

6. Troca de pontos ou milhas

Desde que os programas de fidelização conquistaram os consumidores, os pontos acumulados vêm sendo usados para o resgate de mercadorias.

O que acha de o seu e-commerce fazer uma parceria com uma empresa (a Multiplus, por exemplo) a fim de permitir que os usuários comprem produtos em troca de pontos? No caso, o valor correspondente à mercadoria é repassado pela administradora desses pontos, tornando-se uma fonte a mais de receita para a loja virtual.

7. Intermediadores de pagamento

Uma das formas de pagamento na Internet mais usadas pelos comerciantes são os intermediadores de pagamentos, plataformas robustas, com infraestrutura para oferecer diversas opções de pagamento em um único local.

Com um intermediador de pagamentos, você pode oferecer no seu e-commerce todas as modalidades mencionadas até aqui, sem precisar fazer um contrato diferente para cada uma.

A plataforma do intermediador é integrada à loja virtual, mas não deixa que o consumidor perceba diferenças entre esses 2 ambientes.

Assim, ao fechar a compra e optar pela forma de pagamento, o cliente é direcionado para o intermediador de pagamentos, que faz a análise de crédito de forma imediata, envia os dados para a operadora de cartões (quando é o caso) e faz a validação da compra.

Quando se trata de transferência eletrônica de fundos ou débito automático, o intermediador também faz essa comunicação com a instituição bancária, a fim de verificar se o cliente possui saldo suficiente para a compra. Estando tudo ok, a cobrança é realizada.

Já com o boleto bancário, o consumidor imprime o documento e o paga onde achar melhor. Nesse caso, o banco deve confirmar o recebimento para que a compra seja confirmada.

Além de oferecer diversas opções em um único local, o intermediador de pagamentos promove maior segurança nas transações financeiras do seu e-commerce. Você não precisa, portanto, se preocupar com conexões seguras, criptografia de dados e selos de segurança. Tudo isso passa a ser de responsabilidade do seu fornecedor!

Também existe uma maior facilidade em fazer a consolidação dos seus recebíveis, já que todos os pagamentos ficam concentrados em um único lugar.

Isso, sem contar que os riscos comuns a qualquer comércio (como fraudes) são significativamente reduzidos, pela ação estratégica do intermediador em analisar os dados do comprador antes de autorizar a transação.

Como escolher a melhor opção para a sua loja virtual?

É necessário avaliar muitas questões antes de escolher a melhor forma para receber o pagamento de seus clientes. Veja o que você precisa considerar, a seguir.

Entenda o perfil do seu público

Ao delimitar características do seu público e entender como ele se comporta na Internet, é possível criar estratégias mais acertadas, que contemplam descontos, formas de parcelamento e métodos de pagamento, para inibir desistências e insatisfações.

Enquanto algumas pessoas preferem fazer o pagamento a vista e conseguir um bom desconto ou cashback, outras aproveitam a quantidade máxima de parcelas para comprar mais coisas. Apesar disso, também existem aqueles que não têm sequer um cartão. Para esse tipo de cliente, também é preciso facilitar a compra.

É possível definir a forma mais usada pelo seu público a partir de algumas características, como a idade. Clientes mais jovens costumam usar métodos mais modernos, como pagamento por aplicativos e carteiras digitais.

Você também pode fazer um levantamento dos tipos de pagamentos mais usados nas vendas da sua empresa nos últimos anos. Que tal associar esses dados com as informações sobre os clientes? Pode ser uma forma interessante de verificar a recorrência de um modelo em função de uma característica específica.

Analise os concorrentes

Além de conhecer melhor os seus clientes, você também precisa conferir junto aos seus principais concorrentes quais são as formas de pagamento mais usadas, para replicar o que dá certo e fornecer os métodos que eles não têm.

Observe, ainda, o surgimento de tendências, para acompanhar o que há de mais inovador no mercado e demonstrar aos consumidores que a empresa se preocupa em acompanhar as demandas que agregam valor à experiência deles e aumentam a sua capacidade de atendimento.

Verifique a cobrança de taxas

As taxas cobradas pelos intermediadores de pagamento são variadas, e sobre isso você também precisa estar atento. Geralmente, são cobradas porcentagens por transação e taxas fixas por venda.

Boletos bancários têm a cobrança pela emissão, que muda conforme a instituição bancária e o volume da empresa. Juntamente com a cobrança das taxas, é preciso verificar a forma como você receberá o dinheiro e o prazo entre a efetivação da compra e a disponibilidade do crédito.

Às vezes, é mais vantajoso pagar a mais para receber com agilidade e não comprometer o seu fluxo de caixa, ou ter serviços agregados em uma solução específica, como camadas de segurança, para não precisar contratá-la por conta própria.

É comum que instituições financeiras ofereçam o serviço de antecipação de recebíveis, por meio do qual você recebe o valor da compra sob o pagamento de uma taxa. Esse serviço pode ser um diferencial, mas tende a ser caro, podendo comprometer consideravelmente a sua margem de lucro.

Avalie a facilidade de integração

A capacidade e facilidade de integração entre a plataforma que você utiliza como base do seu e-commerce e os meios de pagamento escolhidos é essencial. Evite que o cliente seja direcionado para um ambiente externo, pois isso pode causar insegurança no processo de compra e inibir o usuário a concluir a operação.

Os gateways de pagamento geralmente são adicionados na interface da loja virtual para garantir a qualidade da experiência do cliente. Por isso, considere essas questões antes de escolher as formas de pagamento e até a plataforma para construir a sua loja virtual.

Considere a segurança do usuário

Existem muitas formas de fraudar uma transação financeira na Internet, e os cibercriminosos buscam, a cada minuto, uma brecha ou vulnerabilidade para forjar o seu sistema.

Os usuários também ficam atentos aos requisitos de segurança que garantem confidencialidade e integridade aos dados fornecidos durante uma operação em lojas virtuais. Por isso, sempre escolha ferramentas de segurança para integrar a sua página, um certificado SSL, por exemplo, que integre a plataforma escolhida para embasar suas atividades na web.

Além disso, opte pelos modelos de pagamento mais seguros, que consigam, por exemplo, detectar fraudes em cartões de crédito. Assim, é possível inibir qualquer tentativa de fraude que atrapalhe seu fluxo de caixa.

Apesar de algumas ferramentas exigirem um investimento a mais com a implantação de um sistema antifraude, os custos de implementação são compensados pela redução de prejuízos. A lógica é simples: quanto mais comodidade e segurança são disponibilizadas para seus consumidores, mais vendas você conseguirá concretizar.

A transparência no uso das informações também é essencial: jamais use dados pessoais de terceiros para outra finalidade senão a venda de produtos ou serviços da sua loja virtual. Para isso, crie uma política de privacidade que contemple essas informações e dê mais segurança ao seu público.

Como vimos, é importante considerar sempre que o e-commerce lida com públicos variados, que usam recursos também diversos. Assim, a restrição às formas de pagamento, como vendas exclusivas via boleto ou cartão, acaba por afugentar o cliente do seu site.

Agora que você já conhece algumas formas de pagamento mais usadas na Internet, aproveite para assinar a nossa newsletter e receber conteúdo de qualidade direto no seu email!

100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo