Logo da Universidade Yapay com a coruja como símbolo Conheça a Universidade Yapay!

Conheça as melhores práticas de gestão de pagamentos no e-commerce

A gestão de pagamentos é um dos pontos mais importantes dentro da administração de um e-commerce.

Conheça as melhores práticas de gestão de pagamentos no e-commerce

Mesmo que a gestão de pagamentos seja um ponto fundamental para o desenvolvimento de um negócio online, muitos lojistas não se atentam a isso na hora de montar a sua loja virtual e acabam sofrendo posteriormente por dificuldades de ofertar um serviço de qualidade aos seus clientes.

O resultado é a dificuldade dos clientes de realizarem aquitação de uma compra, vindo a cancelar e abandonar o carrinho no meio do processo de pagamento por não encontrar meios adequados a sua necessidade.

Para ajudar você a entender melhor quais os principais meios de pagamento e a melhores práticas para a sua gestão, criamos este post completo com muita informação de qualidade. Continue conosco e boa leitura!

Quais são os meios de pagamento para o e-commerce?

Nós chamamos de meios de pagamento a forma como um cliente vai pagar por determinado produto ou serviço online, sendo que as mais comuns são cartões de crédito e débito, além do boleto bancário. Porém, nos últimos anos, novas formas têm surgido, facilitando ainda mais a gestão e o controle do que é pago.

Oferecer métodos alternativos de pagamento é uma ótima maneira de reduzir o abandono do carrinho e as desistências de compra, aumentando a conversão das vendas em seu negócio online.

Vamos listar os principais meios de pagamento, a seguir.

Boleto bancário

Antes mesmo das lojas online começarem a aceitar cartões de crédito e débito, o boleto foi a primeira das formas de pagamento para compras na internet em sites de e-commerce. Até hoje, ele ainda é um dos meios mais utilizados, visto que nem todo mundo possui cartões.

Os boletos são títulos de cobrança emitidos por instituições bancárias e que possuem dados referentes ao recebedor, como titular da cobrança, data de vencimento do título, banco utilizado, valor total a ser cobrado e outras informações que são condensadas em um código de barras.

A principal vantagem do boleto bancário, e a razão pela qual ele ainda é tão utilizado, é que não é necessário que o comprador tenha uma conta bancária ou seja titular de cartões. Basta emitir o documento e realizar o pagamento em qualquer banco ou lotérica que desejar.

No entanto, existe uma desvantagem para o lojista, já que a confirmação do pagamento do título pode demorar até cinco dias úteis. Durante esse tempo, a mercadoria negociada deve ficar indisponível para venda, evitando assim que ela acabe sendo negociada mais de uma vez.

Ou seja, até que o boleto seja realmente compensado, o e-commerce não pode contabilizar a venda como finalizada e a mercadoria deve ficar em separado, pois é necessário aguardar o pagamento. No caso da não compensação, ou seja, da desistência do cliente, o produto fica disponível novamente no site.

Para que a sua loja possa emitir boletos, é preciso contar com uma conta corrente em qualquer banco e realizar a solicitação direta na sua agência.

Transferência bancária

A transferência bancária é outra boa opção de pagamento para compras na internet, sendo que essa forma permite a quitação imediata por um produto ou serviço. O e-commerce, nesse caso, tem uma confirmação direta do pagamento na conta da empresa.

Uma das principais vantagens da transferência bancária é a rapidez no recebimento, já que é um crédito direto em conta. No entanto, existe uma maior complexidade no caso de cancelamentos, pois a devolução do dinheiro também deve ser feita de forma manual e direta.

A segurança também é um dos pontos fortes da transferência bancária online, já que as atividades são realizadas dentro do internet banking da instituição financeira. Contudo, os redirecionamentos podem fazer com que o cliente desista da compra.

Cartão de crédito e débito

Muitas pessoas optam por realizar as suas compras online por meio de cartões de crédito e débito, visto que essa é uma forma de pagamento protegida, pode gerar pontos em programas de fidelidade e permitem o cancelamento e estorno dos valores rapidamente em caso de insatisfação.

Além disso, o cliente pode controlar os seus gastos, já que tem acesso ao extrato de suas transações e evita realizar compras em excesso.

É possível fazer acordos diretamente com as bandeiras de cartão de crédito e com instituições bancárias para oferecer essa forma de pagamento em seu e-commerce, porém, tais negociações são dificultosas e burocráticas.

Por conta disso, a grande maioria das instituições bancárias opta pela terceirização desse processo, investindo na contratação de gateways de pagamento ou intermediários. Vamos falar sobre eles, neste post.

Link de pagamento

O link de pagamento é uma modalidade que vem crescendo nos últimos tempos, principalmente entre lojas online que não contam com site, como e-commerces dentro de plataformas como o Facebook, WhatsApp e Instagram.

Nesses casos, é possível gerar um link de pagamento, que pode ser enviado diretamente ao cliente por mensagens, para que ele acesse e conclua o procedimento de pagamento otimizado.

Essa é uma operação muito simples e que vem ganhando força, uma vez que facilita a interação direta entre o e-commerce e o cliente, permitindo vendas rápidas.

Visa Checkout ou Masterpass

Por fim, temos as chamadas carteiras digitais, oferecidas por operadoras de cartões de crédito, permitindo que o cliente crie uma conta de login para a autorização de pagamentos.

Uma das principais vantagens desse modelo é, com certeza, a agilidade que ele proporciona na hora de realizar o pagamento de uma compra, visto que não é necessário fazer todo o o preenchimento de dados, apenas logar com a carteira digital.

Do mesmo modo, torna-se um método mais seguro para ambos os lados, clientes e lojas virtuais, uma vez que não há transação de dados sensíveis entre as partes.

Essa agilidade e segurança reduz significativamente o abandono do carrinho, aumentando a conversão de vendas do e-commerce. A integração da loja com a carteira digital pode ser realizada de forma direta entre o sistema e o fornecedor da solução.

Quais são as diferenças entre Gateway e Intermediários de pagamentos?

Hoje, para oferecer as mais variadas formas de pagamento dentro de um e-commerce, podemos contar com dois modelos de adquirentes, ou seja, quem faz a ponte entre a loja e as instituições financeiras: o gateway e o intermediador de pagamentos.

Ambos são sistemas que facilitam a vida do lojista na hora de trazer uma maior variedade de possibilidades aos seus clientes. Vamos entender um pouco mais sobre cada um deles.

Gateway de pagamento

Os gateways, ou processadores de pagamento, são sistemas de integração que fazem a transmissão de dados entre os e-commerces, operadoras de cartões de crédito e instituições bancárias, verificando as informações apresentadas pelo comprador.

Dentro desse modelo de pagamento, o lojista recebe o valor de acordo com a modalidade escolhida pelo comprador. Por exemplo, em uma compra com cartão de crédito realizada em dez parcelas, o e-commerce receberá de acordo com a quitação de cada parte.

Além disso, existe um melhor controle dos pagamentos que ocorrem dentro do e-commerce e um contato melhor com as operadoras de cartões de crédito e bancos, melhorando a rapidez na hora de realizar requisições.

É possível implementar integrações entre os sistemas de gateways de pagamento e os softwares utilizados dentro dos sites e e-commerces, adaptando o caminho de chackout sem comprometer a experiência do cliente.

Por meio de um gateway de pagamento, também é possível realizar uma gestão financeira mais eficaz, visualizando relatórios que subsidiam a tomada de decisões e demonstram pontos importantes do negócio.

A principal vantagem de investir em um gateway de pagamentos é a possibilidade de contar com uma maior flexibilização, tendo acesso às mais variadas formas de pagamento de uma maneira rápida e simples.

Intermediário de pagamento

Os intermediários de pagamento são companhias que têm como função facilitar o processo de pagamento para os seus clientes — na maioria dos casos, e-commerces que vendem produtos e serviços online.

Eles oferecem um suporte completo, desde a disponibilização de vários métodos de pagamento até os sistemas antifraude. Assim, podemos dizer que o intermediador é mais completo que o gateway no conjunto de serviços prestados.

No entanto, é preciso lembrar que os seus custos também são mais altos, devido a uma maior gama de serviços. Contudo, como se trata de uma solução mais completa, pode ser a melhor saída para lojas mais simples e com menos capacidade de integração, visto que demanda menos complexidade de implementação.

Além disso, o intermediário de pagamento também já conta com um sistema antifraude integrado, eximindo o lojista da contratação extra desse serviço e disponibilizando um checkout transparente. Isso tem um impacto direto na confiabilidade dos usuários e clientes.

O reconhecimento das transações pode levar até 48 horas, sendo que a transferência dos valores acumulados pode levar cerca de 24 horas.

Quais são as melhores práticas de gestão de pagamentos no e-commerce?

Para ajudar você a controlar melhor o seu recebimento e gerar ainda mais vendas, nós separamos algumas das principais práticas a serem utilizadas no e-commerce. Vamos lá!

Controlar os seus recebíveis

Algumas lojas online não contam com um sistema de ERP ou possuem um software de gerenciamento, mas não realizam o controle dos recebíveis. Isso é um grande erro, pois pode prejudicar o seu planejamento, a reposição de estoque, as compras e outras atividades.

Procure controlar todos os seus recebíveis com o nome dos clientes, os contatos de cada um, as datas de vencimento e os valores envolvidos em cada fatura. Com isso, é possível ter uma previsão de ganhos e uma melhor projeção de investimentos no crescimento da marca, no marketing e em outros pontos.

Além disso, você poderá começar a identificar bons compradores e pagadores, criando descontos exclusivos e promoções direcionadas a quem já costuma consumir mais em sua loja, aumentando a sua satisfação ao mesmo tempo em que incrementa as suas conversões.

Precificar com eficiência

Um erro comum dentro do e-commerce é precificar produtos com base em achismos e instintos. O resultado disso é um só: prejuízo.

Todo e qualquer produto e serviço deve ser precificado com base em seus custos de venda e previsão de lucratividade, garantindo, assim, que cada venda gere um retorno adequado para a loja online e evitando surpresas negativas.

Para isso, é preciso conhecer muito bem o seu público-alvo, evitando a superfaturação de seus produtos e serviços, além de garantir uma cobrança justa para os consumidores.

Oferecer meios de pagamentos diversificados

A conversão de vendas dentro de um e-commerce tem relação direta com a quantidade de meios de pagamentos ofertados.

Os consumidores que fazem parte de um mesmo público-alvo podem ter variadas formas de pagamento prediletas, o que exige do e-commerce a oferta de todas as possibilidades.

A falta dessa variedade pode levar à redução de vendas e ao aumento do abandono do carrinho, visto que, no momento do checkout, o cliente pode não se sentir satisfeito com as formas de pagamento oferecidas e desistir da compra.

A melhor forma de ofertar uma grande quantidade de meios de pagamento é com a adoção de um gateway ou intermediário de pagamentos, como já explicamos.

Evitar a inadimplência

Muitos e-commerces aplicam cobranças recorrentes para a prestação de serviços e sofrem com a inadimplência de seus consumidores.

Infelizmente, o ato de cobrar não é uma experiência agradável e pode ser muito estressante, no entanto, ela se faz necessária para manter a saúde financeira da empresa.

Contudo, é preciso ter muito cuidado na hora nesse momento, pois uma cobrança errada pode acabar gerando um cancelamento e uma experiência negativa. O ideal é ser cordial com o cliente e ouvir o que ele tem a dizer, buscando sempre uma conciliação para o pagamento.

Uma boa prática é o envio de mensagens de lembrete sobre o vencimento de um determinado boleto alguns dias antes dele ocorrer, evitando contatos telefônicos que possam ser um tanto quanto invasivos. Ações judiciais devem ser aplicadas apenas em último caso, quando não há, realmente, possibilidade de acordo.

Simplificar as formas de pagamento no site

O checkout é um momento crítico na jornada de compra e, por isso, deve ser simplificado ao máximo, com poucos elementos em tela e sem qualquer tipo de margem para a dúvida.

Deve ficar claro para o cliente quais são as formas de pagamento disponíveis e o que deve ser feito para realizar a conclusão da transação em cada uma delas.

Um erro muito comum em e-commerces é carregar a tela de checkout com um excesso de informações, o que dá uma sensação de bagunça e traz uma imagem negativa ao cliente, que pode acabar desistindo da compra por conta disso.

Registrar e acompanhar os reembolsos

Nas lojas virtuais, é comum que o cliente fique arrependido de uma compra e queira reembolso sobre o valor pago. No entanto, muitas pessoas aproveitam essa possibilidade para aplicar golpes. Por isso, tenha em mente que um cliente que pede reembolso por diversas vezes pode ser alguém mal intencionado.

Além disso, o registro e o acompanhamento dos pedidos de reembolso também são uma ferramenta de gestão financeira, permitindo controlar as receitas da empresa.

Acompanhar essas informações ajuda a entender o que há de errado e o que pode ser melhorado e otimizado para evitar que mais clientes também solicitem o reembolso.

Estimular o pagamento em dia

Para e-commerces que trabalham com recorrência, contar com clientes que pagam em dia é fundamental para a saúde financeira da empresa.

Para garantir que isso aconteça, podemos aplicar algumas técnicas e boas práticas que incentivem esse comportamento por parte dos consumidores.

Uma dessas formas é por meio do oferecimento de descontos e benefícios para todos aqueles que realizam o pagamento em dia, melhorando, assim, o desempenho financeiro de sua loja online.

Controlar a antecipação de recebíveis

O pagamento com cartão de crédito tem uma regra própria: na maioria das vezes, é necessário esperar até 30 dias para receber os valores de uma venda nessa modalidade.

Contudo, um e-commerce pode ter um capital de giro baixo e necessitar de recursos financeiros para se manter atuando. A antecipação dos recebíveis pode ser uma saída interessante nesse caso.

Com um bom planejamento, antecipando apenas o necessário, temos a possibilidade de evitar juros e garantir a rotatividade de capital dentro do e-commerce.

Uma boa gestão de recebíveis é fundamental para um negócio de sucesso, melhorando o gerenciamento das receitas e os investimentos realizados.

Usar um sistema de pagamentos

Por fim, é praticamento impossível realizar uma gestão adequada de pagamentos em um e-commerce sem a ajuda de um sistema automatizado que integre dados junto às instituições financeiras.

Isso porque a complexidade da integração direta é muito grande e, além de prejudicar a criação e manutenção de sua loja online, pode trazer custos muito altos.

Ao investir em um sistema de pagamentos como um gateway ou um intermediador, podemos contar com uma plataforma integrada, reduzindo a complexidade de todo o processo de checkout dentro de sua loja.

Além disso, temos acesso aos mais variados relatórios que auxiliam na gestão dos pagamentos, trazendo insights acerca de oportunidades de melhoria para a sua plataforma.

Como escolher a melhor solução de pagamentos?

Existem várias empresas no mercado que atuam com sistemas de pagamento, porém, nem todas as soluções podem ser adequadas às demandas específicas do seu negócio. Por conta disso, na hora de escolher o seu fornecedor, é fundamental verificar determinadas questões.

A seguir, vamos listar alguns pontos aos quais você deve estar atento na hora de buscar por um fornecedor de solução de pagamentos.

Checkout

O checkout é um ponto crítico e fundamental dentro da jornada de compra, podendo ser realizado de duas formas distintas. São elas:

  • checkout da plataforma — dentro dessa opção, o cliente será redirecionado para a plataforma de pagamentos de seu fornecedor. No geral, pode-se realizar algumas customizações básicas, além de eximir a demanda por uma página interna. A desvantagem é que o cliente precisa sair do seu site, o que pode levar à desistência;
  • checkout transparente — nessa opção, a sua loja deve ter uma página de checkout interna, podendo ser totalmente customizada dentro de sua identidade visual para trazer uma experiência mais imersiva ao cliente. Os dados são trocados de forma interna, por meio de APIs de comunicação.

Split de pagamento

Em alguns casos, o e-commerce pode trabalhar com comissionamento, sendo que os produtos são vendidos via link por outros vendedores que não têm um relacionamento direto com a loja online.

Nesse caso, algumas plataformas de pagamento oferecem soluções de automatização de comissionamento, realizando a divisão adequada do valor após o processamento, reduzindo a demanda por uma atuação manual.

Cobrança recorrente

O modelo de assinatura é uma das alternativas de pagamento que vêm crescendo nos últimos anos. Nem todas as plataformas disponibilizam a programação desse modelo de cobrança, sendo necessário emitir, de forma manual, uma nova fatura todos os meses.

No entanto, há plataformas que garantem a cobrança recorrente, facilitando o controle dos pagamentos, melhorando a experiência do cliente e reduzindo a carga de trabalho.

Compra com um clique

Algumas plataformas permitem a função de comprar com um clique, na qual os dados de compra do consumidor ficam salvos e criptografados no sistema, permitindo que novas transações sejam realizadas sem a demanda de um novo cadastro.

Isso facilita aquisições futuras por parte do consumidor, que tem uma melhor experiência a cada compra. Vale lembrar que a segurança é muito importante para evitar o vazamento dessas informações sensíveis.

Pagamento mobile

Muitos consumidores utilizam o smartphone para realizar as suas compras online. Por conta disso, é preciso que a plataforma seja adaptada para o pagamento mobile, com checkout totalmente responsivo para dispositivos móveis.

Suporte

Por fim, é fundamental conferir o suporte do fornecedor antes de fechar um contrato. Afinal, é preciso saber como a sua loja conseguirá realizar as suas vendas, caso a plataforma fique indisponível.

O ideal é verificar como funciona o suporte, a disponibilidade, como é realizado o atendimento, o tempo mínimo de reposta e outros pontos importantes.

Uma boa gestão de pagamentos pode ser a responsável direta pelo crescimento e desenvolvimento do seu negócio. Esperamos que as boas práticas listadas ao longo deste post possam auxiliar você a melhorar ainda mais o seu e-commerce.

Fique por dentro de posts incríveis como este, assinando agora mesmo a nossa newsletter!

100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo