E-book intermediador

O que um grande e-commerce deve ter para se destacar no mercado?

O que um grande e-commerce deve ter para se destacar no mercado?

O comércio digital está cada dia mais concorrido, exigindo que empreendedores e gestores busquem constantemente por diferenciais competitivos. Quando pensamos em um grande e-commerce, então, essa necessidade ganha ainda mais importância, já que é preciso disputar de igual para igual com grandes players, já estabelecidos.

Para ajudar sua loja virtual a se destacar em meio a concorrência, criamos uma lista com 7 características que um grande e-commerce precisa ter para atrair clientes, manter um bom volume de vendas e continuar crescendo de forma sustentável. Ficou interessado? Então continue lendo!

1. Variedade de produtos

Um grande e-commerce precisa contar uma grande variedade de produtos. Afinal, o modelo de negócios é baseado em volume de vendas, portanto, deve oferece um bom leque de opções aos consumidores.

É importante que a loja forneça soluções para vários públicos. Por exemplo: diferentes versões de itens e preços, produtos premium e diversas marcas.

Vale lembrar que montar um bom mix de produtos depende de pesquisas rotineiras de mercado, considerando os fornecedores e os próprios consumidores. É fundamental identificar tendências, oferecer novidades, manter o portfólio atualizado, etc. Essas ações básicas vão garantir que sua loja não pare no tempo e acabe perdendo compradores.

2. Experiência do usuário

A experiência do usuário é decisiva na permanência dos compradores no site e, consequentemente, na capacidade de fechar vendas. Em um grande e-commerce, onde a quantidade de itens vendidos é alta, esse cuidado deve ser redobrado. Afinal, é preciso disponibilizar um volume expressivo de informações.

As boas práticas para melhorar a experiência do usuário envolvem uma série de fatores, a começar por um design limpo, com fotos claras e descrição de produtos de qualidade. Lembre-se que a visualização do site deve ser pensada tanto para computadores convencionais quanto para dispositivos móveis.

Também é importante investir em ferramentas de buscas internas, garantindo que o comprador encontre o que ele procura com agilidade. Deixe a caixa de pesquisa em um local privilegiado, preferencialmente no topo da página, e disponibilize filtros para melhorar a precisão de uma busca. Isso permite que o usuário escolha de forma fácil qual marca ele deseja ver ou, qual faixa de preço o interessa.

3. Forma de pagamento segura

No e-commerce, as principais soluções para o pagamento são os intermediadores e gateways. Ambos são ferramentas que permitem ao visitante realizar a compra remota por meio do envio de dados, como número de cartão de crédito, ou impressão de boletos bancários.

Pequenos e médios e-commerces tendem a utilizar intermediadores. Ou seja, empresas terceirizadas que recebem o pagamento do usuário e resolvem as questões burocráticas e técnicas com instituições financeiras e bandeiras de cartão de crédito. Após algumas etapas e dias, elas repassam o valor da compra ao lojista.

Em organizações de porte maior, no entanto, a opção mais viável é o gateway. Ele é uma ponte direta entre cliente, loja e instituições financeiras. A primeira vantagem dessa solução é o aumento da autonomia para o lojista, que consegue negociar taxas e prazos diretamente com bancos e ainda elimina o pagamento ao intermediador. O resultado é uma grande redução de custos.

Além disso, os gateways podem ser integrados de forma mais orgânica ao seu site, permitindo o checkout transparente (sem o redirecionamento do usuário para outro domínio), a confirmação de pagamentos de forma imediata e a gestão direta da movimentação no caixa da empresa.

4. SEO de excelência

As técnicas de Search Engine Optimization (Otimização para Ferramentas de Busca) já são velhas conhecidas do e-commerce. São aquelas estratégias que garantem um bom posicionamento da sua página em sites como o Google e Bing e que envolvem desde o emprego de palavras-chave e descrição de imagens até o uso de sites responsivos.

Um e-commerce de grande porte deve contar com um SEO de excelência, o que demanda, sobretudo, conteúdo de qualidade. Portanto, capriche nas descrições de cada produto e ofereça informação de qualidade sobre a própria loja, com explicações claras sobre as políticas de vendas e trocas, por exemplo.

5. Atendimento 24 horas

Lojas de grande porte lidam, diariamente, com centenas de visitantes por dia. Ou seja, é preciso lidar com um volume considerável de dúvidas e problemas via atendimento em qualquer dia ou hora da semana.

Portanto, ter uma equipe de atendimento capaz de lidar com esse alto volume de demandas é essencial para evitar a dor de cabeça do lojista e do cliente. Vale a pena pensar em alternativas para garantir o atendimento consistente, como a utilização de chatbots ou terceirização de parte do seu SAC.

6. Reputação

Ter a imagem de uma loja confiável e segura é um diferencial competitivo que não pode ser ignorado. A construção da reputação é um processo que leva tempo e pode ser interrompido depois de um problema. Ou seja, é provável que um comprador insatisfeito reclame sobre sua loja na internet — um ambiente onde as más notícias se alastram rapidamente.

Por isso, contar com um bom atendimento, como citado anteriormente, é uma boa maneira de assegurar a integridade da imagem da loja, uma vez que as falhas passam a ser resolvidas diretamente com o cliente.

Lembre-se também de garantir a confiabilidade do seu site investindo em recursos de segurança. Eles vão desde os certificados digitais, escolha de servidores confiáveis até o uso de meios de pagamento, como os gateways — que garantam a preservação dos dados dos compradores e da própria loja.

7. Ferramentas de gestão

É muito difícil gerir um grande e-commerce sem a ajuda de ferramentas de gestão adequadas. É comum o uso, por exemplo, de ERP (Enterprise Resource Planning) para a gestão integrada da empresa, captando de forma automática dados de diversos setores e os apresentando em um único dashboard.

Soluções de CRM (Customer Relationship Management) também são importantes para que a loja conheça seus clientes e leads de forma precisa. A partir disso, é possível, por exemplo, adequar o seu mix de produtos ou precificação de acordo com perfis de visitantes.

Por fim, lembre-se de ter uma plataforma de e-commerce capaz de se integrar com as demais ferramentas digitais. Assim, a gestão do back-end e front-end da loja fica facilitada e ainda passa a ser apoiada em dados de outros sistemas, possibilitando ações mais eficazes.

Gostou das nossas dicas para consolidar um grande e-commerce? Temos um E-book sobre o assunto, clique aqui e baixa gratuitamente!

Sobre o autor
Thadeu Arias
Thadeu Arias Growth Hacker | SEO and Marketing Strategy | Especialista em E-commerce, sua passagem por agências de publicidade, trouxeram bagagem em performance e conversão para e-commerce. Apaixonado por estudo, e aficionado por testes e análise de resultados. Acredita no data driven como acelerador de crescimento.
100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo