Logo da Universidade Yapay com a coruja como símbolo Conheça a Universidade Yapay!

PSD2: o que é e quais são os seus possíveis impactos no e-commerce?

Com a nova diretiva PSD2, o setor de pagamentos está prestes a mudar, alterando a forma como as pessoas usam suas informações bancárias!

PSD2: o que é e quais são os seus possíveis impactos no e-commerce?

O parlamento Europeu está dando vários passos em direção a uma maior flexibilização nas regras de pagamentos, sendo que a nova diretiva PSD2 é apenas uma dessas iniciativas que visa colocar na mão das pessoas o controle de seus próprios dados.

Hoje, é impossível que outra empresa utiliza as suas informações bancárias de posse de uma instituição financeira comum, sendo que a proposta da nova diretiva é exatamente acabar com o monopólio sobre esses dados e permitir que o usuário compartilhe com quem ele achar melhor.

Ao longo deste post, vamos buscar explicar para você o que é e como funciona o PSD2, quais são os seus impactos diretos no e-commerce e setor de pagamentos, quando ele entre em vigor e como se preparar para essas mudanças. Fique de olho em todos os detalhes!

O que é o PSD2

O PSD2, Payment Services Revised Directive, em uma tradução livre, diretiva revisada de serviços de pagamentos foi concebida para trazer o mercado financeiro europeu para a nova era digital, melhorando o alinhamento e regulação atualmente existentes, considerando as novas tecnologias.

Ela não apenas introduz requisitos de segurança para o processamento de pagamentos eletrônicos, algo que ainda não havia sido regulado, mas também visa proteger as informações financeiras dos consumidores.

De forma clara, o PSD2 tira o monopólio acerca das informações bancárias dos bancos, ao permitir que os clientes escolham com quem desejam compartilhar suas informações, regulando também os chamados fornecedores terceiros, conhecidas como FinTechs, empresas que trabalham com dados financeiros.

Dentro desse rol de empresas temos processadores de pagamentos, empresas que controle de gastos, de investimento e várias outras que podem melhorar seus serviços tendo acesso direto à conta bancária de seus clientes.

Isso terá um impacto direto no mercado de pagamentos, uma vez que trará uma maior concorrência para as instituições bancárias, que não terá mais concorrência apenas entre si, mas entre todos que prestam serviços no mesmo setor. É o chamado Open Banking.

Como ele funciona

Na prática, podemos dizer que o PSD2 permite que os clientes movimentem suas contas bancárias conforme queira, por meio de aplicativos de terceiros, não apenas de seu banco.

Ou seja, outras empresas do ramo financeiro poderiam acessar informações bancárias de seus clientes em outras instituições, desde que com autorização expressa do mesmo.

Para que isso seja possível, os bancos devem implementar API, protocolos de comunicação que permitem a troca de dados, observando todas as regras e normas de segurança estabelecidas pela regulamentação.

Em um exemplo simples, imagine que você busca realizar um empréstimo pessoal. Ao tentar efetuar essa transação em seu banco, os juros não são tão atrativos. Nesse momento, você busca uma alternativa em uma FinTech de empréstimos.

Ela poderia acessar suas informações bancárias para verificar seus dados e realizar uma melhor oferta, transferindo o valor diretamente para a sua conta caso o negócio fosse fechado. As parcelas também poderiam ser diretamente descontadas todo mês, facilitando ainda mais os pagamentos.

Quais os impactos no e-commerce

Oferecer métodos alternativos de pagamentos tem sido um dos principais diferenciais das plataformas de e-commerce nos últimos tempos, uma vez que o número de players no mercado vem aumentando a olhos vistos.

Com o advento do PSD2, os comerciantes podem estar diante de uma ótima oportunidade, tendo acesso direto a conta dos seus clientes, eliminaríamos a necessidade de lidar com as operadoras de cartão, criando uma conexão direta entre a plataforma de pagamento e os dados bancários do cliente.

Isso tem um impacto direto sobre os custos envolvidos no processamento de pagamentos, fazendo também com que as operadoras, para se manter no mercado, reduzam suas taxas, facilitando a negociação entre os e-commerce e as bandeiras de cartão.

Pensando dessa forma, poderia ser implementada até mesmo uma forma de pagamento parcelada, sendo que todo mês o e-commerce pode realizar a cobrança da parcela diretamente na conta de seu cliente, melhorando ainda mais a experiência de compra e reduzindo a inadimplência.

Os processos complexos de pagamento deixarão de existir, sendo que as plataformas se tornarão cada vez mais simples e leves, uma vez que transações não demandarão mais de várias implementações e integrações, apenas um ponto de contato com as APIs bancárias.

Quando o PSD2 entrou em vigor

O PSD2 já está em vigor desde 2016, quando foi sancionada no Parlamento Europeu e foi imposto o prazo até janeiro de 2018 para a adequação por parte do mercado financeiro. Infelizmente, boa parte das instituições não conseguiram se adequar a tempo.

Com isso, um novo prazo foi estipulado para setembro de 2019, desde então, todas as instituições bancárias da Europa já devem estar preparadas para permitir o compartilhamento das informações bancárias por meio de APIs.

Como o assunto é regulado no exterior

É claro que nem tudo é tão simples e novos desafios ainda devem surgir, sendo que o principal deles é cumprir todas as exigências em relação à segurança da informação, exigidas na regulamentação PSD2, lembrando que ainda não temos uma norma como essa no Brasil.

Contudo, assim como aconteceu com a LGPD, lei de proteção de dados, que seguiu um movimento iniciado também na Europa, podemos esperar discussões nesse sentido em breve em nosso país, uma vez que estamos na vanguarda do surgimento de novas FinTechs no mundo.

A China e os Estados Unidos também estão trabalhando nesse sentido, sendo que no primeiro país já existe um grande ecossistema de pagamentos baseado no compartilhamento de informações bancárias.

Nos EUA, já existe um grupo de trabalho pesquisando formas de aplicar uma regulamentação semelhante ao PSD2 em seu sistema bancário. Mesmo que não exista um regulamento, já se conta com várias FinTechs, assim como no Brasil, que conseguem acessar esses dados e oferecer melhores serviços e produtos.

A regulamentação do PSD2 traz novas oportunidades e visa melhorar ainda mais o sistema de pagamentos, fomentando novos negócios e permitindo que os usuários tomem parte de seus próprios dados.

A Yapay pode auxiliar a tirar todas as suas dúvidas não apenas com relação ao PSD2, mas também sobre o processamento de pagamentos. Entre em contato conosco agora mesmo!

100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo