Logo da Universidade Yapay com a coruja como símbolo Conheça a Universidade Yapay!

5 táticas de growth hacking para aplicar no e-commerce

Growth Hacking é método que pode aumentar a evidência comercial da sua loja online de forma estratégica.

5 táticas de growth hacking para aplicar no e-commerce

Você já deve ter ouvido falar do Growth Hacking no e-commerce, mas pode não ter notado como ele pode ser aplicado nesse modelo de negócio. Isso ocorre porque esse método ficou um bom tempo restrito a startups, surgindo depois como uma solução mais abrangente e atingindo outros segmentos de mercado.

Mas afinal, como as lojas virtuais podem aplicar esse método inovador? É simples, com um crescimento rápido por meio do aumento de conversão. Só que isso não ocorre em um passe de mágica, mas sim por meio de ações pontuais como criatividade, capacidade analítica, aprendizagem constante e tentativas.

Antes de conhecer as cinco melhores táticas growth hacking, veremos seu conceito e como funciona na prática. Confira a seguir.

A definição de growth hacking

Para compreender seu significado, vamos à explicação literal, traduzindo as duas palavras: “growth” significa crescimento ou expansão e “hack” quer dizer atalho ou brecha. Dessa forma, growth hacking seria uma maneira de cortar caminhos para acelerar o crescimento de uma empresa.

Esse método é cercado de muita criatividade e objetivos bem definidos. Ele está atrelado a técnicas não padronizadas de marketing, a fim de identificar atalhos em vez de seguir o padrão estabelecido.

Contudo, o GH não substitui, de forma alguma, o bom e velho marketing. Ele deve ser aplicado como uma estratégia complementar para obter o resultado esperado, conservando seu foco no público consumidor.

Resumidamente, o growth hacking reúne ações extraordinárias de marketing para aumentar as conversões, atrair clientes, gerar lucro e fidelizar pessoas, se tornando referência no seu campo de atuação.

Os benefícios do growth hacking no e-commerce

Se você pretende colocar seu e-commerce em evidência, terá que levantar o comportamento e as preferências do seu nicho. Assim, poderá testar abordagens que permitam fazer com que as suas metas comerciais sejam atingidas com rapidez e eficiência.

É por isso que o growth hacking precisa ser implementado na sua loja virtual, visto que ele é tanto uma mentalidade quanto uma metodologia que agrega habilidades analísticas e experimentais para definir estratégias únicas de marketing digital.

Os principais benefícios da técnica são: aumentar o número de conversões, conquistar autoridade, atrair clientes, gerar lucro e fidelizar pessoas e conseguir mais indicações.

5 táticas de growth hacking no e-commerce

Após conhecermos o conceito, a função e as vantagens do GH, vamos às melhores táticas para colocar sua loja online em destaque na web.

1. Tenha um blog

É muito importante que você expanda a presença do seu comércio eletrônico na rede. Nesse caso, o blog é uma ferramenta obrigatória para estratégias de growth hacking. Isso porque conteúdos ricos ganham muita força quando o assunto é marketing digital, pois eles facilitam a captação do público. Os consumidores atuais querem informações claras e relevantes sobre diversos assuntos.

Falando em blog, vale reforçar sobre a importância de manter os internautas nele o máximo de tempo possível. Para isso, é necessário instalar as seguintes ferramentas:

  • formulário de cadastro na newsletter;
  • banners que direcionam a páginas com promoções no seu e-commerce;
  • mercadorias em destaque;
  • pop-up (janela) que surge quando o visitante vai fechar a página do blog, perguntando se ele conseguiu o que procurava e como você poderia ajudar mais.

Essas comunicações permitem que você conheça melhor as pessoas que frequentam seu blog, abrindo a possibilidade de interagir com elas e conseguir informações relevantes que podem ser direcionadas para campanhas de venda mais certeiras.

2. Invista em chatbots para otimizar atendimentos

Os chatbots são dotados de inteligência artificial capaz de entender os processos e dinamizar o atendimento ao público. Eles são capazes de entregar o que a clientela procura em seu e-commerce com extrema rapidez.

Com eles, é possível sanar dúvidas de forma instantânea e solicitar serviços, como segunda via de boleto. Além disso, existem métodos de pagamento integrados a esse tipo de ferramenta para fazer o checkout sem precisar sair do chat.

Para que isso funcione com mastreia, disponibilize o chatbot no site da sua loja e nos aplicativos de mensagem (Messenger e WhatsApp). Assim, o público terá diversas formas de entrar em contato para acessar produtos, tirar dúvidas e encontrar informações relevantes.

3. Promova o remarketing com segmentação nos lances

Remarketing é usado para atrair de volta os usuários que já manifestaram algum interesse no seu catálogo de produtos. Você pode publicar conteúdos ou ofertas para que essas pessoas se lembrem do seu e-commerce, avancem no funil de vendas, considerem a necessidade de comprar e decidam por fechar negócio com você.

Para isso, registre todas as pessoas que acessaram seu site mais de uma vez nos últimos 30 dias. O objetivo é ter uma noção de quem são aqueles que estão de olho nas suas mercadorias.

Além disso, você pode impactar usuários que abandonaram carrinhos. Utilize a URL da página do carrinho para indicar que apenas o público que chegou até ali deve ser colocado na lista de remarketing. Já para evitar que os que comparam também sejam incluídos, descarte aqueles que foram até a última página de checkout.

Por fim, você pode atrair consumidores em um período específico após as compras anteriores. Se você vende itens de consumo e conhecem bem o ciclo de uso de cada um e o intervalo de compra da sua clientela, programe abordagens de remarketing para quando surgir a necessidade de uma reposição.

Por exemplo, você vendeu frascos de suplemento com 60 cápsulas e pode calcular que o consumo médio desse item seja de dois meses. Assim, após 60 dias ou um pouco antes, novos anúncios daquele mesmo produto podem ser encaminhados aos mesmos compradores.

4 Use call to action

O call to action, ou “chamada para a ação”, atua como gatilho mental para que o seu visitante tenha algum comportamento em relação ao seu e-commerce. Mas não pense que é para você mandar nele: em vez de um “Compre já!”, você pode utilizar “Aproveite” ou “Conheça” — termos que estimulam uma ação, mas que denotam uma sugestão amigável da loja.

Você também pode usar banners no blog, nas redes sociais e no próprio site, onde o internauta terá acesso imediato a um produto popular.

5. Anúncios dinâmicos na rede de pesquisa

Os anúncios dinâmicos oferecem diversos benefícios para o seu comércio eletrônico. Eles são muito úteis para lojas online que contam com um grande número de produtos no catálogo, pois é inviável que o analista de marketing mantenha todos os anúncios ativos e atualizados para todos os itens.

Funcionam assim: os anúncios dinâmicos gerenciam centenas ou milhares de anúncios com links que direcionam para as mercadorias ofertadas e ainda com títulos que carregam o nome da loja. Dessa forma, seu varejo virtual se mantém atualizado nas pesquisas do Google, aparecendo nas primeiras sugestões.

Além disso, você não precisa incluir palavras-chave para deixar os anúncios no topo das buscas, pois os anúncios dinâmicos atuarão de forma automática e proativa com base nas URLs e nos títulos de suas páginas.

E então, o que achou das nossas dicas de como aplicar o growth hacking no e-commerce? Para melhorar essas ações, é preciso medir os resultados conseguidos e lapidar cada uma com frequência para obter uma performance comercial satisfatória.

Se você gostou deste conteúdo e quer ficar por dentro das melhores técnicas de vendas para loja virtual, baixe nosso e-book gratuito agora mesmo!

100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo