E-book intermediador
Burocracia para empreender? Saiba como ter sucesso de forma simples

Burocracia para empreender? Saiba como ter sucesso de forma simples

Um dos fatores com o qual é preciso lidar no decorrer da abertura de uma empresa é a burocracia para empreender no Brasil. Essa observação não é fruto de um pensamento pessimista sobre o país, mas sim de fatos que ratificam a realidade.

Em média, demora-se 80 dias para abrir uma empresa aqui. Esse tempo se torna ainda maior quando o comparamos com o de países como a Nova Zelândia, onde em 24 horas todo o processo é concluído. Retornando ao Brasil, ainda temos, além desse tempo, 9 meses para conseguir as documentações de licença e alvarás. Não fosse isso tudo suficiente, contamos também com a paciência de gastar 2038 horas por ano para pagar impostos.

Mas ainda podemos superar essas e outras dificuldades ao nos prepararmos para possíveis problemas. Continue acompanhando e veja algumas dicas!

Burocracia para empreender: superando desafios

E-book: Conversão no E-commerce: Como aumentá-la?
Aumente a conversão de suas vendas





Tanto para abrir quanto para manter a empresa, é preciso se organizar para evitar problemas. Além de ter que enfrentar toda a burocracia inicial para conseguir empreender, o empresário deve saber ultrapassar as dificuldades que surgem nos primeiros anos. De acordo com o IBGE, 6 a cada 10 empresas fecham as portas antes dos 5 anos.

Pesquise antes de decidir o nome da empresa

Informe-se quanto aos nomes existentes iguais ou parecidos ao que você deseja antes de tentar o registro dele. Você pode fazer essa pesquisa no site da Junta Comercial de cada estado.

Após fazer a regulamentação do nome empresarial na Junta e no Cartório, é recomendável fazer o registro da marca no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). Esse órgão garantirá o direito e a propriedade do nome.

Faça os registros

Registre o contrato social na Junta Comercial do município. Ao fazer isso, você receberá o NIRE (Número de Identificação de Registro da Empresa). Com esse documento, você pode solicitar o CNPJ no site da Receita Federal. Você precisará baixar um programa chamado Documento Básico de Entrada.

Se sua empresa for trabalhar com produção de bens e venda de mercadorias, precisará ainda de um cadastro na Secretaria Estadual da Fazenda.

Tendo o CNPJ, é preciso requerer o alvará na prefeitura. Esse documento lhe possibilitará fazer o cadastro na Previdência Social e, ainda, solicitar autorização na prefeitura da sua cidade para a impressão de notas fiscais e a identificação de livros fiscais.

Prepare o contrato social ou o requerimento de empresário

Equivalentes a uma certidão de nascimento para a pessoa física, o contrato social (no caso de sociedade) e o requerimento de empresário (no caso de empresário individual) são documentos nos quais constarão regras, direitos e obrigações dos proprietários. Você ainda identificará nesses documentos o tipo de atividade empresarial. Essa identificação é importante, porque é nela que o governo se baseará para recolher os devidos tributos.

Sócios, administradores e outros participantes precisam ser identificados e ter seus papéis estabelecidos no documento, assim como a divisão de quotas deve ser definida. Outro ponto que entrará no contrato social são regras como a entrada de outros sócios e formas de empréstimos.

Determine o tipo de empresa e a sua localização

A Receita Federal faz uma classificação de mais de 20 tipos de empresas, que se dá com base na infraestrutura e na finalidade. É uma forma de manter o controle de todos os empreendimentos existentes no país. No momento do registro do CNPJ, você colocará a atividade principal que a empresa vai exercer. Tal classificação servirá, mais tarde, para a tributação e a fiscalização.

A localização é necessária porque pode haver restrição por parte do governo em relação ao tipo de atividade exercida no local.

Faça o pró-labore e defina outras regras

O pró-labore é diferente da divisão de lucros e dividendos. É um tipo de remuneração dos sócios pelas atividades administrativas e fica documentado no contrato social. Ele é um dos documentos mais importantes de serem definidos, para que você aja de forma clara com a própria empresa.

Atente para a escolha do regime tributário

Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples Nacional? A definição se dá de acordo com a estimativa de faturamento e a atividade exercida. Na dúvida, peça orientação a um contador.

Os impostos a serem pagos serão determinados por cada um dos tipos de regime tributário, e escolher o errado poderá fazer sua empresa gastar valores a mais, o que influencia no resultado financeiro da organização. Outra consequência desagradável é a de ser enquadrado na sonegação de impostos, o que poderá fazer você responder a um processo na Receita.

Tenha um planejamento financeiro

Antecipe-se a ponto de estar preparado para quando os gastos chegarem, em vez de ir pagando todas as obrigações e só no final analisar todas as despesas que teve.

Antes de abrir o negócio, saiba quais gastos você terá com toda a documentação, inclusive com o deslocamento, para analisar se a situação é favorável. Faça uma estimativa de quanto gastará nos primeiros anos e de quanto tempo será preciso para ter o retorno do valor que foi investido. Caso esse mundo das finanças seja complexo para você, peça ajuda a um consultor.

Saiba quais são os procedimentos legais

Além dos procedimentos administrativos burocráticos, existe uma série de requisitos legais que a empresa terá que cumprir. As autorizações mais comuns são o cadastro na Vigilância Sanitária e a autorização do Corpo de Bombeiros. No entanto, dependendo da empresa, poderá haver outras exigências, como o registro nos órgãos de classe (CREA, CRECI, CRM, CRP etc.).

Estude o mercado

Antes de abrir a empresa, estude os seus concorrentes para traçar os seus planos. Seu serviço precisa ser visto com um diferencial para que chame a atenção entre tantos outros já existentes. Saiba como fará a divulgação, que tipo de marketing usará, quantos empregados precisará ter e quanto em salários pagará.

Essa análise dos concorrentes lhe dará noção de como eles podem impactar seus negócios, além de lhe dar insights de táticas a serem tomadas.

Capacite-se

Ser empresário implica ter conhecimentos de administração, gestão de pessoas, comunicação e gestão de estoques. Além disso, você precisará estar em contínuo aprimoramento, para se manter altamente capacitado e conseguir transmitir para a prática toda a teoria.

Aprenda com quem já passou por essa experiência, faça cursos, assista a palestras e siga as redes sociais de pessoas reconhecidas e que podem colaborar para sua evolução.

Conhecer a realidade antes de enfrentá-la lhe possibilitará ter mais expertise para conduzir suas ações. Faça o planejamento, prepare o terreno, invista na sua capacitação. Esteja também preparado para mudanças, que são frequentes no mundo atual. Ainda que você enfrente a burocracia para empreender, você já terá mais maturidade que a maioria dos seus adversários.

Aproveite que você já está saindo na frente e veja também este artigo sobre os benefícios de pagamento automatizado para empreendedores.

Receba os melhores conteúdos sobre formas de pagamento online!
Sobre o autor
Marco Galvão
Marco Galvão Apaixonado por Marketing, formado em Administração, Pós-Graduando em Marketing e Gestão Estratégica de Negócios. Hoje também pesquisador e amante de assuntos relacionados a pagamentos online. Como Hobbies gosto de fotografar, ouvir música, viajar e cantar (mesmo sem saber) ! Bom tê-lo aqui comigo :)