E-book intermediador

Receber pagamentos online: 4 erros cometidos por iniciantes

Receber pagamentos online: 4 erros cometidos por iniciantes

Não é preciso aprofundar muito nas pesquisas para descobrir que um dos motivos para o crescimento do e-commerce no Brasil é o investimento das lojas em tecnologia de ponta. Aliás, especialmente quando se trata de receber pagamentos online, a empresa ou o profissional contam justamente com os avanços da tecnologia para escolher uma solução de pagamento capaz de aliar agilidade e segurança.

Seja por meio de um Gateway ou de um intermediador de pagamento, as opções disponíveis para os consumidores são várias. É fundamental que o e-commerce saiba quais são as mais utilizadas, considerando o público principal do seu negócio. Por isso, vamos falar um pouco dos principais meios de pagamento e dos erros cometidos inicialmente. Confira!

Receber pagamentos online: por cartão de crédito

Sem dúvida, é um processo rápido para o consumidor, mas o principal atrativo dessa modalidade é a chance de parcelamento da compra. Existe um número limite de parcelas em que o cliente não paga juros. Geralmente, é uma proposta atrativa, visto que a prática da compra parcelada é cultural no mercado consumidor do país.

Para o e-commerce, é importante avaliar quais as principais bandeiras de cartões utilizadas por seus clientes e disponibilizá-las. Isso amplia as possibilidades de fechar a venda.

Receber pagamentos online: por débito em conta

O débito em conta é um meio de pagamento que beneficia o consumidor e o lojista. Automaticamente, o valor é debitado e passa de uma conta à outra. Não existe preocupação com prazos e isso diminui a insegurança.

Um fator importante é que o Banco Central aprovou, em março deste ano, uma medida que reduz as tarifas de operações com o cartão de débito. Isso pode trazer desdobramentos no sentido de popularizar mais as transações com cartão de débito e, consequentemente, as transações de débito em conta, de modo geral. A tendência é que a redução nas tarifas de débito gere a oferta de mais atrativos para o cliente que compra utilizando essa opção.

Receber pagamentos online: por boleto bancário

Essa é a principal opção do consumidor que, por algum motivo, não pode ou não quer realizar o pagamento da compra utilizando o cartão de crédito.

Embora esse tipo de pagamento possibilite ao consumidor a desistência da compra sem ônus algum de consequência, é um meio seguro. Para lidar com as desistências, alternativas de lembrete e de geração rápida de um novo boleto vêm sendo implementadas.

Gateways de pagamento ou intermediadores

Vistos os principais meios de pagamento utilizados pelos consumidores, é importante o e-commerce analisar, considerando as particularidades do negócio, qual a solução de pagamento mais adequada a oferecer para os seus clientes.

Com a implementação de um gateway de pagamento, o e-commerce estabelece uma ponte tecnológica entre a loja e as operadoras de cartão ou bancos. É uma solução mais robusta e integrada à página da loja.

Ao contrário dos intermediadores de pagamento, o gateway não direciona o cliente para outra página na conclusão da compra. Consequentemente, o processo se dá com mais transparência.

Com o uso de intermediadores, o pagamento feito pelo cliente não vai diretamente para a conta do lojista. Por isso, é preciso ter atenção aos prazos de recebimentos dos valores, assim como às taxas que os intermediadores cobram pelas transações. Alem de escolher uma solução que ofereça checkout transparente.

Receber pagamentos online: Os 4 erros mais comuns

1. Não variar as opções de pagamento

Já vimos que a escolha do cliente por utilizar um ou outro meio de pagamento pode variar, envolvendo vários fatores. Apesar de o uso de cartão de crédito ser bastante comum, existem clientes que não o utilizam ou preferem as vantagens de eventuais descontos na compra por meio de boleto.

Cabe ao e-commerce entender o perfil do seu cliente e oferecer as opções mais cômodas, mas sem abrir mão de um processo seguro e rápido na etapa de conclusão da compra.

Se o cliente economizou para comprar no boleto à vista e a loja não disponibiliza essa opção, naturalmente, em uma questão de segundos, o cliente fecha a página e busca a dos concorrentes. Isso porque existe uma maior consciência do consumidor acercas das possibilidades, das comodidades e dos riscos nas compras online.

2. Não ter profissionalismo e segurança para receber pagamentos

É claro que as condições de compra devem ser atrativas ao consumidor, mas não mostrar que o processo é seguro pode, sim, afastar o cliente. Isso porque o acesso à informação, hoje em dia, é amplo e os indivíduos já têm uma relativa experiência em compras seguras no mercado brasileiro online.

Se a venda implica a transferência de um valor, o depósito ou um redirecionamento de página que rompe o processo, é comum que o cliente desconfie e abandone a compra. Fica claro que, em situações assim, o amadorismo do e-commerce inibe o interesse pela compra.

Pagar compras online ainda é algo que preocupa os consumidores. A segurança deve ser tão percebida quanto as facilidades de compra.

3. Não utilizar ferramentas que automatizem os processos

A principal consequência da escolha de uma solução de pagamento online inadequada é a perda de controle nas vendas. Nas soluções integradas ao site da loja, o processo ocorre com rapidez e isso beneficia enormemente a percepção do cliente acerca de sua experiência de compra na loja.

Com uma experiência positiva, o cliente retorna à loja e a recomenda, ou seja, é fidelizado. Mesmo assim, os cuidados em garantir um processo simples, ágil e seguro devem não só permanecer, mas  também evoluir conforme surgem avanços na tecnologia.

4. Não considerar os custos na hora de escolher a solução de pagamento

Embora o e-commerce deva privilegiar as comodidades para o consumidor finalizar sua compra e realizar o pagamento, se a solução adotada tiver um alto custo para o negócio — em relação às taxas por transações ou aos custos de implementação —, torna-se inviável mantê-la.

O que está em jogo é a saúde financeira da loja e, portanto, a sustentabilidade do negócio. Por isso, é fundamental pesquisar e avaliar com cuidado quais são os custos envolvidos e adotar uma forma de recebimento de pagamentos online. Isso deve ser feito levando em consideração o segmento de mercado, o porte da empresa e as outras particularidades próprias de cada caso. Sem dúvida, conhecer o público-alvo é também indispensável para saber qual a melhor solução.

Cenário brasileiro do mercado virtual

Artigos sobre o mercado de e-commerce esclarecem que o Brasil ocupa uma posição relevante no ranking mundial no que se refere a compras e vendas pela internet.

Estudos recentes encomendados a empresas de pesquisa de mercado apontam que o país não apenas ultrapassa a média mundial quanto ao hábito de comprar online, mas também que os consumidores fazem isso utilizando seus dispositivos móveis — tablets e smartphones.

A grande oferta de sites para pagamento online existe porque o e-commerce no país é amplo e permanece em crescimento. Por isso, aos lojistas resta agarrar as oportunidades que surgirem. Tudo isso sempre priorizando decisões assertivas norteadas pela compreensão das necessidades do cliente, mas, sobretudo, visando o crescimento do negócio e o destaque da concorrência.

Percebeu como é importante escolher a forma mais adequada para receber pagamentos online? Se já cometeu alguns desses erros, comente e divida a sua experiência conosco! E não se esqueça de assinar nossa newsletter para seguir acompanhando esse e outros temas importantes para decisões de negócio!

Sobre o autor
Thadeu Arias
Thadeu Arias Growth Hacker | SEO and Marketing Strategy | Especialista em E-commerce, sua passagem por agências de publicidade, trouxeram bagagem em performance e conversão para e-commerce. Apaixonado por estudo, e aficionado por testes e análise de resultados. Acredita no data driven como acelerador de crescimento.
100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo