E-book intermediador

Como montar uma loja virtual: você sabe mesmo TUDO o que é preciso?

Como montar uma loja virtual: você sabe mesmo TUDO o que é preciso?

Dicas sobre vender online vemos muitas por aí. Elas podem ser muito boas se o gestor souber aplicá-las à sua realidade. Porém, você realmente sabe como montar uma loja virtual? Entender esse processo inicial é essencial, pois, ele será a base que sustentará as demais atividades advindas do empreendimento.

Dessa forma, ainda que as estimativas de empreender na internet sejam boas, com um crescimento de 12% só no primeiro semestre de 2018, de nada adianta aplicar as melhores estratégias, se elas não estão bem consolidadas.

Sendo assim, continue a leitura e conheça os passos necessários para criar um e-commerce de primeira!

Realize um planejamento

Uma das etapas mais importantes sobre como montar uma loja virtual é fazer um planejamento do negócio. Assim, é necessário definir, por exemplo, qual será o foco ou o nicho das vendas.

As possibilidades são várias, como: moda, beleza, alimentação, decoração, eletrônicos. Ainda dentro de cada área, existirão ramificações, que precisam ser detalhadas. Na alimentação, por exemplo, é possível ter confeitaria, comida saudável, lanches gourmet, etc.

Feito isso, também é importante ter uma pesquisa de mercado, para saber qual a média de crescimento desse nicho, qual o público e, qual a possibilidade de aceitação por parte dele.

Além do mais, prever a quantia financeira que será gasta para abrir a empresa e fazer uma estimativa do tempo de retorno é primordial, se o gestor quiser ter um comportamento prudente.

Entenda as exigências legais

Não há como fugir de uma parte um pouco burocrática e técnica na hora de montar uma loja virtual. O comerciante precisará fazer o registro do e-commerce nos órgãos competentes.

Assim, precisará definir qual tipo de regime tributário a empresa se encaixará, quem serão os sócios, quanto se gastará no pagamento dos tributos ─ na abertura e na manutenção anual.

Também, é fundamental entender quais leis e obrigações ele deverá seguir, como: a lei do e-commerce, o Código de Defesa do Consumidor, as exigências sobre nota fiscal.

Pense em toda a logística nos processos

Para uma loja online funcionar, geralmente, outras pessoas e parceiros farão parte das atividades.

Fornecedores entregarão parte da matéria-prima ou algum material para o serviço. Assim, quem serão eles? São confiáveis e têm um preço justo?

Da mesma forma, os entregadores completarão a etapa para que a mercadoria chegue ao consumidor. Com isso, o lojista deve decidir se trabalhará, por exemplo, com uma empresa especializada no serviço ou com os Correios. Nessa entrega, é importante ter em mente que o valor cobrado pelo frete influenciará na decisão final do usuário de adquirir ou não o produto.

Ainda com relação à logística, o comerciante deve pensar onde ficará o estoque dos itens. Se já existir a loja física, é possível guardar a mercadoria no mesmo espaço. Mas, na inexistência dela, existem várias possibilidades para esse local: a própria residência, um galpão alugado, etc.

Pesquise as plataformas

Ela é o ambiente virtual no qual os produtos serão inseridos, ficarão expostos e o consumidor poderá navegar, a fim de conhecer o que a marca oferece e encontrar o item que deseja.

Ela precisa ser robusta, permitir certa customização, ter boa usabilidade. Isso para que a plataforma não apresente grandes problemas, como falhas no sistema, e o consumidor consiga ter boa experiência de compra.

Existem algumas que ainda oferecem recursos, de modo a deixar o e-commerce mais desenvolvido e permitir a integração com outros aplicativos ou marketplaces.

Pense na segurança dos dois lados

Ameaças virtuais ainda acontecem com certa frequência, principalmente em ambientes desprotegidos.

Consumidores costumam analisar bem o site, a fim de se certificarem de que oferece a proteção necessária para seus dados pessoais. Com o intuito de preencher essa necessidade, o comerciante pode investir em selos e certificados digitais.

A fraude também pode virar um problema para o próprio comércio, com a possibilidade de gerar até um chargeback. Isso tende a ser evitado ao investir numa boa plataforma ─ dica já mencionada ─ e ao garantir boas formas de pagamento ─ o que será explicado nos próximos tópicos.

Tenha qualidade no conteúdo do site

Isso faz parte da impressão que o cliente constrói da marca e da experiência de compra que ele terá ao navegar pelo e-commerce.

Assim, as fotos de cada mercadoria precisam ter qualidade e mostrar todas as particularidades existentes. As descrições têm de dar conta de fazer com que o consumidor tenha uma noção exata do que está adquirindo.

Ou seja, tudo deve estar bem explicado. Isso porque ele não estará vendo o item pessoalmente, então, as imagens e a apresentação são tudo o que ele tem para se decidir.

Decida as estratégias de marketing digital

Enquanto um comércio físico precisa, entre outras particularidades, estar presente em um espaço de boa movimentação, a fim de atrair os clientes, uma loja virtual conta com seu posicionamento na internet.

Com isso, o gestor deve decidir sobre como fará com que outras pessoas conheçam a sua marca e tenham vontade de consumi-la.

Banners digitais com promoções e anúncios patrocinados são boas opções, pois, chamam à atenção de um público segmentado. Ter perfis nas redes sociais é, praticamente, essencial para a maioria dos casos.

Já um marketing de conteúdo tem um foco no longo prazo, mas consegue, de forma não-invasiva, conquistar e fidelizar muitos consumidores.

Escolha os métodos de pagamento

Mais uma etapa que influencia na taxa de conversão é com relação às formas de pagamento disponibilizadas aos consumidores pelo comerciante. Cada usuário que chega terá preferências e necessidades distintas. Há os que escolhem boletos, há os que se decidem por parcelas no cartão de crédito.

Gateways e intermediadores de pagamento, além de oferecem tais opções, também proporcionam segurança aos consumidores, na medida em que protegem os dados contra invasões.

Outra vantagem é a de resguardar o gestor contra fraudes e chargebacks. Com isso, são escolhas imprescindíveis para o sucesso.

Tendo em mente essas etapas sobre como montar uma loja virtual, um comerciante terá mais garantia de tomar as melhores decisões para o seu empreendimento.

E por falar em definir processos apropriados, que tal entender mais sobre as formas de pagamento disponibilizadas no e-commerce? É só baixar o e-book!

Sobre o autor
Thadeu Arias
Thadeu Arias Growth Hacker | SEO and Marketing Strategy | Especialista em E-commerce, sua passagem por agências de publicidade, trouxeram bagagem em performance e conversão para e-commerce. Apaixonado por estudo, e aficionado por testes e análise de resultados. Acredita no data driven como acelerador de crescimento.
100.000 pessoas não podem estar enganadas Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo