E-book intermediador
Sistema de pagamento para aplicativo: o que saber para contratar um?

Sistema de pagamento para aplicativo: o que saber para contratar um?

Definir como será o sistema de pagamento para um aplicativo é uma das decisões mais importantes para o seu desenvolvedor. Essa escolha influencia bastante na taxa de conversão, pois motiva o cliente a optar, ou não, pelo download ou assinatura.

Nessa decisão, é importante facilitar o lado do usuário sem deixar de pensar na lucratividade do negócio. Assim, muitos fatores terão que ser considerados para encontrar a melhor solução.

Continue lendo e entenda o que é preciso saber para escolher a melhor opção para sua empresa!

Pense na experiência do usuário

O consumidor gosta bastante de realizar pesquisas por smartphones, e o comportamento de comprar por esses meios tem aumentado cada vez mais. Contudo, é necessário que ele tenha boa experiência (UX) durante esse processo, pois, caso contrário, desistirá logo da aquisição.

Existem várias formas de oferecer essa experiência ao usuário, como interface intuitiva e cores agradáveis no layout. Ainda é preciso pensar em como será o momento da compra. Isso envolverá um checkout transparente, ou seja, quando ele for digitar os dados para o pagamento, não ser necessário passar por etapas muito complicadas.

Outro quesito é o recurso “one click”, no qual, caso haja recompras, há possibilidade de os dados do cartão de crédito do cliente já estarem salvos, diminuindo ainda mais todo o processo, pois as informações não precisarão ser reinseridas.

Mais um detalhe é permitir muitas opções de pagamento, inclusive via múltiplos cartões, que falaremos com mais detalhes no próximo tópico.

Forneça várias possibilidades de pagamento

Qual é a probabilidade de oferecer apenas um meio de pagamento e agradar 100% dos usuários? Muito baixa, concorda? Ainda que o aplicativo tenha um público-alvo definido, quando falamos em preferências de pagamento, esse detalhe varia bastante.

Alguns vão preferir boleto, por não terem cartão de crédito ou por terem receio de informar os dados. Outros já vão achar mais prática a opção de cartão de crédito, pelo fato de o pagamento ser automático. Ainda não se deve esquecer das variadas bandeiras das adquirentes disponíveis no mercado.

Para suprir todas essas contingências, é sensato investir em intermediadores e gateways de pagamento. Os intermediadores são capazes de fornecer variadas vias de pagamento, por diversos bancos, inclusive em boletos. Eles também fazem análise antifraude, assumindo os riscos. Os gateways, por sua vez, possibilitam pagar por múltiplos cartões, colaborando, ainda, para a satisfação do consumidor.

Passe confiança ao consumidor

Em um mundo no qual escutamos, todos os dias, notícias sobre roubo de dados pessoais, cresce a desconfiança do usuário em pagamentos para empresas as quais eles ainda não conhecem direito.

Dessa forma, ele deve sentir confiança em adquirir o produto e passar as informações pessoais. Um certificado SSL é imprescindível nesse caso, e ao contratar um gateway que já ofereça esse benefício, o desenvolvedor do aplicativo não precisará investir em outras seguranças.

Não se esqueça da segurança para a empresa

Também é importante se lembrar da segurança para a própria empresa. Isso porque as fraudes têm crescido bastante nas compras online. Segundo a Konduto, há uma tentativa a cada 5 segundos.

Um intermediador de pagamento, desde que seja eficiente, terá sistemas próprios para analisar cada comportamento do consumidor e prevenir esses ataques. Ou, ainda, caso algo do tipo aconteça, o intermediador assumirá os riscos, evitando que o lojista precise arcar com os prejuízos.

Outra vantagem desses dois sistemas de pagamento que estamos abordando aqui é a diminuição do chargeback, que é quando acontece um cancelamento de venda, no momento em que o verdadeiro titular do cartão não reconhece a compra, por ter tido seus dados roubados. Em uma situação comum, o comerciante é obrigado a fazer o estorno desse valor.

Pesquise as tarifas em cada sistema de pagamento

Existem muitos fornecedores de gateways e intermediadores, porém, nem todos contam com as taxas mais vantajosas. Grande parte das vezes, aquela marca que tem bastante autoridade no mercado acaba cobrando tarifas mais altas, sem oferecer grandes diferenças de serviços.

Sendo assim, compare os preços, faça estimativas, avalie a possibilidade de abaixar os valores, caso seu contrato seja por um longo tempo. Também compare os serviços oferecidos e o tipo de atendimento e suporte disponível. Por exemplo, um suporte em português é essencial e prático para a maioria das pessoas.

Dessa forma, você saberá qual atenderá melhor as suas expectativas.

Pense na facilidade de integração

Desenvolvedores de aplicativos sabem que nem toda aplicação é fácil de ser integrada para garantir a boa experiência do usuário. É primordial levantar essas informações, no momento da escolha, para não ter dor de cabeça depois.

Dê preferência por intermediadores e gateways que facilitem a integração e que ofereçam APIs amigáveis, para uma conexão descomplicada.

Avalie a automatização de processos

Pode acontecer de um cliente, mesmo bem intencionado, ter sua compra negada por motivos diversos, como o limite da sua fatura do cartão de crédito. Isso costuma provocar constrangimentos, ainda que ele não tenha culpa. Outra consequência negativa é a de isso obrigá-lo a ficar sem o produto por uns dias e ele acabar percebendo que o serviço não era tão necessário assim, o que faria o vendedor perder um consumidor, aumentando sua taxa churn.

Para que isso não aconteça, opte por formas de pagamento que possam automatizar os processos de assinatura, de novas tentativas de aquisição e de reprocessamento de vendas ao oferecer, automaticamente, outras alternativas para o usuário escolher.

Veja a facilidade para administração

Outro fator importante é saber como será a forma de administrar e customizar as atividades decorrentes dos recebimentos de cada valor, além das taxas pagas à rede. O lojista precisa ter um controle apurado a fim de fazer o planejamento financeiro da empresa e se preparar melhor para suas obrigações futuras.

Além disso, a possibilidade de personalizar as configurações para cada forma de pagamento, como valores e periodicidade é outro fato a ser considerado nessa busca.

Assim, pudemos ver um checklist notável de o que deve ser levado em conta na hora de escolher um sistema de pagamento para seu aplicativo. Esperamos que nossas dicas tenham sido proveitosas.

Quer saber quais vantagens podemos oferecer para a sua empresa, por meio de gateways e intermediadores de pagamento? Entre em contato conosco!

Receba os melhores conteúdos sobre formas de pagamento online!
Sobre o autor
Thadeu Arias
Thadeu Arias Designer Gráfico e Web, sua passagem por agências de publicidade, como Diretor de Arte e Criação, trouxeram experiência em Fotografia, Cinegrafia e Motion Graphics. Acredita que através do Design, pode ajudar a melhor o dia a dias das pessoas. Estuda estratégias de SEO e Growth Hacking, especialista em Inbound Marketing e Produção de Conteúdo para Web 2.0.